sexta-feira, 31 de julho de 2009

Não quero ser um Dragon Ball

Faz-me imensa confusão esta nova moda de misturar as imagens de seres virtuais com pessoas de carne e osso, num critério incomparavelmente incomparável de nos fazer crer que, mais tarde ou mais cedo, acabaremos por nos dar todos uns com os outros: os humanos e os humanóides.
Discordo dessa mistura de águas, discordo dessa vertente impostamente futurista que, pelo alastrar com que velozmente caminha, tudo indica, acabará por conseguir os seus frutos, fazer com que passemos a ser pedaços de um sistema informático de cariz global e devotamente viral que, não muito lá para a frente, permitirá que encaremos a vida como um "upgrade" constante, onde tudo o que não for o que desejamos pode sempre ser substuído por algo mais "hi-tec".
E não, não me digam que esta evolução, a começar pelos desenhos animados, inclusive pornográficos, não nos está a mostrar o quanto, ou melhor, em quanto podemos ser substituídos ou, no mínimo, reciclados, e mais cedo do que imaginamos. É tudo uma questão de megas, sejam megas-desejos, megas-necessidades ou megas-lucros.

Imagino eu

Não sei se concordam comigo, mas acho que as férias têm mais e melhor sabor à noite... Seja na paisagem ou nos pormenores que tantas vezes nos passam despercebidos ao longo dos outros dias... A noite tem mais encanto, tem mais brilho, mais essência, mais por revelar... E, talvez pela descontracção, acabamos por saborear com mais intensidade cada instante, cada hora, cada lugar... Provavelmente por não sentirmos que a nossa agenda não nos obrigará a trabalhar na manhã seguinte, imagino eu.

Ouvi dizer...

Ouvi dizer... Que a pobreza não pára de aumentar. Mas, na verdade, são os "contabilistas das catástrofes" que teimam, com estas tristes e falsas notícias, manter os seus postos de emprego, caso contrário estariam pobres.
Ouve-se cada coisa!

E se?

E se... Repentinamente, passasses a ser do sexo oposto?
O que farias?

?

- Qual é a peça de roupa que consideras mais sexy?

Pensamento... À minha maneira.

Quando se tem coragem e vontade, há formas muito interessantes, e com resultados verdadeiros, para se conquistarem estados de alma mais positivos.
Francisco Moreira

Miss 6ª Feira

(risos) E hoje, como é 6ª Feira, trago-vos uma moçoila mais dada à natureza, mais "fruta sem conservantes pecaminosos". Só é pena faltar-lhe o "salto-alto", é que, por esta via, nunca mais será 2ª Feira, e nós agradecemos, está claro. (risos)

Gravata

Hoje é dia de largar a gravata por uns tempos, de dar férias a umas 60 ou 70 gravatas, as oficiais... É que isto de usar gravata em 6 dos 7 dias da semana, mesmo que em jeito de "part-time", acreditem, cansa um pouco.
Está na hora de escolher a última gravata desta "season", por isso vou tentar envergar aquela a que dei menos destaque ao longo do último ano ou, se calhar, opto pela que mais agilmente me enfeitiçou no despertar.
Lá para Setembro voltará o ritual de todas as manhãs, o escolher "remelado" daquele pedaço de tecido que nos dá um ar mais "clean" e institucional.

Bom Fim-de-Semana!

Não sei se o tempo irá cumprir os desejos de quase todos, mas que se aproveitem bem os momentos auto-dedicados, assim como se fossem os únicos, como se tivessem mesmo que ser explêndidamente aproveitados.
Ah, e se o caminho for para Férias, tanto melhor.

De manhã...

Se for o caso, bom pequeno-almoço.
quinta-feira, 30 de julho de 2009

Analfabeto Sou!

Sinto-me um autêntico analfabeto, daqueles que já só sabem ler, que não percebem patavina do que escrevem, optando sempre pelo teclado mais próximo. E dou de caras com o facto arrepiante de que a escrita, afinal, não é como "andar de bicicleta". E reparo principalmente quando me pedem para assinar isto ou aquilo ou tenho que sacar de um cheque. Sim, já não sei assinar!
É triste passarmos das letras aos gatafunhos, ainda por cima imperceptíveis para os próprios. E isto vêem-me à ideia de cada vez que me pedem para assinar "igual ao bilhete de identidade"... Igual ao quê?! Eu já não consigo assinar igual à assinatura de há 3 segundos atrás, quanto mais igual há de há uns anos atrás!
Ainda bem que os bancos treinam regularmente - só pode ser - esta "desinvolução" da escrita, a da minha e, presumo, a de todos os outros.
Um dia destes, e será lindo, quando não tiver um qualquer teclado pela frente para me salvar, vou ter que me inscrever na pré-primária e adoptar um daqueles cadernos do "antigamente" com duas linhas azuis que serviam para fazermos uma letra redondinha.

Bunker

Cada vez se vêem menos pessoas à janela, até acho que as novas construções se limitam a colocar janelas por uma questão estética ou, claro, para permitir a entrada da luz amiga do ambiente.
É uma pena já não se ouvirem as conversas de uma varanda para a outra, isto nas casas que ainda sabem o que são varandas. É uma pena que se substitua a realidade do pulsar das ruas e vielas pela fantasia das televisões, pelo vazio dos contactos, pelo esconder do que somos, pensamos e tantas vezes desejamos dizer em voz alta, quando nos limitamos ao murmúrio opinativo que aquelas "caixas a cores" nos fazem soltar, quando há algo que chama pela nossa "intervenção" entre paredes.
Onde pára o ar que se respirava? Quem mora do outro lado da rua? Quem espera por quem? Quem viu, sem ser nos noticiários?
Pois, é a tal janela dos dias de hoje que, com fechos à vida, nos leva a optar por paisagens dignas de um "bunker".

Ouvi dizer...

Ouvi dizer... Que cada vez se sonha menos. Mas, na verdade, o que se passa é que todos já temos os sonhos concretizados e estamos plenamente satisfeitos com o "tanto" que temos, embora em jeito de miragem.
Ouve-se cada coisa!

Pensamento... À minha maneira.

Nem sempre as melhores ideias são aquelas que parecem brilhantes aos olhos dos outros, mas sim aquelas em que se acredita sem reservas.
Francisco Moreira

Miss 5ª Feira

(risos) Cá está uma situação aflitiva para a moçoila em questão. Alguma alma caridosa se oferece para procurar o sabonete que, inadvertidamente, caiu na banheira? É que, se repararem, ainda há algumas partes do corpo desta moçoila que necessitam de uma boa ensaboadela. (risos)

E se?

E se... Só te restassem €1,30 para gastar em férias?
O que farias?

?

- Há quanto tempo não escreves e envias uma carta?

Mr. Sábado

(risos) Para que as meninas visitantes não desesperem, cá está um Mr. Sábado que, acredito, vos agradará imenso. Confessem lá, quantas de vós gostariam de ser dribladas por ele? Quantas de vós gostariam de experimentar as suas fintas? Pois, pois, estão mesmo com vontade de ir "à bola" com este experiente moçoilo, certo?! (risos)
quarta-feira, 29 de julho de 2009

Espelho

Este é o meu Post 2500 na Blogosfera... E, ao olhar para trás, mesmo quando me releio e "coro" com o que escrevi, se tivesse que resumir tudo "isto" a uma única palavra, recorreria àquela palavra tão simples mas tão apaixonante que dá título a este "2500".
Com incongruências, com opiniões que foram ficando diferentes, com erros, imprecisões e demais imperfeições, sem esquecer algum ridículo, ando por cá há dois anos, dois intensos anos, com transformações importantes, acontecimentos determinantes e emoções díspares... Em resumo - repito-me, chamaria a todo este tempo, a todas estas longas horas: Espelho, um reflexo puro e Naif de mim, do que penso, de como me oriento, no fundo, de quem sou, naquele instante, naquele sentir, intenso sentir.
Se valeu a pena esta amalgama de horas sem sono e olheiras pela manhã? Se "isto" ajudou em alguma coisa no caminho que percorro? Se serviu para evoluir enquanto criança e adulto? Respondo sim a tudo, inclusive ao relógio que poderia ter sido aproveitado de outras formas, talvez mais prazerosas ou de simples e importante descanso.
Sim, construi mais, sim, cresci mais, sim, aprendi mais. E, já gora, Sim, Valeu a pena, mesmo que "isto" encerre amanhã... Sim, Valeu a pena, inclusive para muitos daqueles que, nestes milhões de linhas que escrevi sempre com emoção, pensaram, sonharam e opinaram, mesmo que em caminhos contrários aos que explicitei e aqui também tentei vivenciar ou recordar.
2500 Post depois... Sinto-me menos "baço" e mais polido enquanto pessoa integrante de um mundo que, na verdade, também através da Blogosfera, pode levar-nos a dar mais a nós mesmos, mesmo quando falamos com os outros, como é o caso.

E se?

E se... Te oferecessem um animal de estimação?
O que farias?

Miss 4ª Feira

(risos) Cá está uma moçoila adepta da ginástica, algo que se compreende com a necessidade de se apresentar em boa forma nas praias por onde deambulará nos próximos dias. Um, dois, um, dois... ou três, exercícios físicos, claro. (risos)

Pensamento... À minha maneira.

Nenhum caminho feito exclusivamente de linhas rectas consegue gerar o prazer que os sentidos potenciam quando encontram novos objectivos.
Francisco Moreira

?

- A que palavra resumirias o momento actual da tua vida?

Flor do Perdão

Uma flor para quem não tem tido resposta aos comentário que gentilmente aqui adicionam... e um Muito Obrigado.
Tenho lido todos os vossos comentários, sempre e sem excepção, mas o tempo tem sido muito pouco... Além de, confesso, andar com outras tarefas, também elas algo desgastantes, principalmente em termos de disponibilidade mental.
Não sei responder por responder, por isso opto por ir postando, ao menos dessa forma vou apresentando novos assuntos neste nosso "Essências".
Perdoem. Voltarei ao "pleno activo" o quanto antes, sem, no entanto, tentar não deixar de ir acrescentando novos Post.
terça-feira, 28 de julho de 2009

Ouvi dizer...

Ouvi dizer... Que continuam a poluir as praias e não só. Mas, na verdade, os objectos deixados são uma forma de solidariedade para com quem colecciona lixo ou ganha uns tostões a recolhê-lo.
Ouve-se cada coisa!

Miss 3ª Feira

(risos) Cá está uma moçoila que, mesmo sem o verdadeiro calor do verão, já não sai da água, mesmo não estando à temperatura ideal. Esperemos é que não fique com a pele enrugada nem que lhe apareça uma ou outra piranha. (risos)

E se?

E se... Tivesses que escrever um livro sobre a história mais bizarra a que assististe?
O que farias?

?

- Quando foi a última vez que sentiste um pico de felicidade?

Pensamento... À minha maneira.

Por muito que doam, as lágrimas, mesmo as eternas, jamais serão suficientemente imunes a uma grande alegria, e a isso chama-se "a Vida".
Francisco Moreira
segunda-feira, 27 de julho de 2009

Pensamento... À minha maneira.

O espelho que reflecte o resultado do nosso percurso nem sempre nos permite ver com clareza o quanto conquistamos nem o quanto desperdiçamos, e tudo se deve aos "óculos escuros" com que tentamos (des)colorir a cor da vida.
Francisco Moreira

Miss 2ª Feira

(risos) Cá está uma moçoila a desfrutar o seu primeiro dia de férias. E, pelo seu ar, pode facilmente perceber-se que já está a sonhar com o regresso ao trabalho, tamanhas são as saudades. (risos)

Ouvi dizer...

Ouvi dizer... Que já poucas pessoas dão a mão. Mas, na verdade, isso só acontece porque as mãos passaram a estar cotadas na bolsa da vida, razão pela qual já existe um custo.
Ouve-se cada coisa!

?

- De que brinquedo melhor te recordas?

E se?

E se... A cidade onde vives desaparecesse?
O que farias?

Do... Palco

Para quem não sabe, esta é a perspectiva que encontro todos fins-de-semana, lá na minha "sala de estar". E, acreditem, é Extraordinária.
domingo, 26 de julho de 2009

Vamos a isto!

Esta noite, uma vez mais, 18 grandes vozes amadoras, numa amálgama de emoções, tentarão destacar-se perante um júri especial, o público presente. É ele quem, com os seus boletins de voto, elegerá o grande vencedor de mais um "Estrelas do Público". Será daqui a cerca de 3 horas que as vozes, muitas delas bem melhores do que as de muitos profissionais, darão o seu melhor para se destacarem em mais um dos melhores concursos de Karaoke do País.
Vamos a isto!
sábado, 25 de julho de 2009

Pensamento... À minha maneira.

Quando o tempo nos olha nos olhos, ao contrário do que deveria acontecer, prova-nos que o relógio da vida nunca está certo, ora está atrasado, ora está adiantado.
Francisco Moreira
sexta-feira, 24 de julho de 2009

Ângelo de Almeida Moreira

video

Para Ver e Ouvir!

* Trabalho executado por Paulo Oliveira.

Férias Gripais

Hoje fiquei estupfacto quando um amigo meu me disse que vai de férias amanhã. Que bom, pensei e disse, só aguardo que cheguem as minhas... Mas a surpresa ainda estava escondida naquela conversa de 5 minutos.
- Vou para Las Palmas, 8 dias...!
- A sério!? Gostas mesmo de ares Espanhóis?!
- Não, desta vez vou para apanhar a gripe.
- Pois, pois! Não faltam casos vindos de lá...
- A sério! Vou mesmo com esse intuito, prefiro apanhá-la agora.
- Estás a brincar?!
- Repara, se apanhar a gripe agora, quando chegar, terei medicamentos, pois não faltam. E tu, quando a apanhares, terás?!
E eu a pensar que a bizarrice ontem anunciada em todo mundo acerca das festas Britânicas feitas para "se apanhar a gripe" eram motivo de "enfins". Afinal, pelos vistos, não falta quem leve a gripe descontraidamente mais a sério, mesmo que seja em forma de férias "de lá fora para cá dentro".

E se?

E se... Fosses o único espectador no pior espectáculo do mundo?
O que farias?

Pensamento... À minha maneira.

O carrocel da vida dá mais voltas do que aquelas que desejamos comprar. Contudo, mesmo nas indesejadas, há sempre uma aprendizagem que as podem justificar.
Francisco Moreira

Miss 6ª Feira

(risos) Cá está uma moçoila preparada para um fim-de-semana a descansar. Obviamente que, tal cansaço, como se imagina, deve-se a uma semana extenuante com uma agenda repleta de afazeres domésticos. E, pelo olhar de missão cumprida, esta moçoila merece um bom fim-de-semana. (risos)

Ouvi dizer...

Ouvi dizer... Que se todos déssemos mais as mãos, muito provavelmente seríamos mais felizes. Mas, na verdade, não damos mais as mãos porque é incomodativo termos que estar constantemente a lavá-las por causa da gripe A.
Ouve-se cada coisa!
- Qual foi o momento de maior harmonia na tua vida?

Morte

São tristes estas sílabas do pós-Adeus
é como se ainda aí estivesse, comigo
naquela conversa de nada com muito
onde verto a inglória do demasiado perdido.

Estão distorcidas estas fotografias cinzentas
às quais roubaram todos aqueles sorrisos
e é neste inconsolável sentir ao relento
que reencarno o lamento de todos os avisos.

São vorazes estas lágrimas de tão secas
é como se a morte nunca provasse ter vida
neste insaciável calafrio da própria ausência
testemunho que tudo foi veloz e sem saída

Não imploro pelo meu irrepetível regresso
nem serei hora neste relógio sem tempo
já assumi que agora sou pó no vazio do além
e só me resta a saudade como complemento.

Eu sei que o sentido já parou de ser razão
e que o fugir fez questão de me aniquilar
a solidão passou a assinar com o sempre
e até a minha demência preferiu hibernar.

Francisco Moreira
quarta-feira, 22 de julho de 2009

Impureza

Fecha os olhos a este outro mundo
e imagina que a pureza existe
que há uma maneira de lá voltar
mesmo quando o mal persiste.
Não, não te deixes adormecer
nem te atrevas a gritar em vão
acredita no teu próprio querer
também há o sonho na desilusão.
Evapora as feridas que puderes
e acrescenta força ao teu passo
resiste ao triste compêndio do ódio
e faz do amor o teu mais forte laço.
Não, não te deixes desancorar
há muito mais luz num outro cais
porque é sempre a vida que te ergue
mesmo quando sentes que dela sais.
Francisco Moreira

Pensamento... À minha maneira.

Há palavras que ferem para sempre. E quando isso acontece, jamais outras palavras serão suficientemente capazes de igualar ou superar a força dos gestos.
Francisco Moreira

Feliz Natal

Sempre ouvi dizer, na época dele, que o Natal deve ser todos os dias. Mas, tal como muitas promessas políticas, tal afirmação não passa de um "esvoaçar verbal", do tipo "fica bem dizer estas coisas, mesmo que ninguém as leve a sério". E é uma pena que o Natal não seja "quando o homem quer", mas no "querer querendo", porque, se alguém perguntar se o Natal é mesmo todos os dias, não faltará quem assine por baixo ou jure com os dois pés. Mas, como dizia, é uma pena que não troquemos o resto do ano pelo tal Natal, aquele aglomerado de poucos dias em que tentamos ser muito melhores pessoas, inclusive olhando para os olhos dos outros, coisa que raramente acontece no resto do ano.
Eu sei que o Pai Natal, e o seu espírito, têm que retemperar forças, afinal não deve ser fácil levar tanta "boa vontade" e " disponibilidade" por este mundo fora, mas que dava tanto jeito fazer a troca, lá isso dava.
E aí sim, aí é que teria piada. Fechava-mo-nos todos em casa para, em vez da ceia, dar azo à nossa má disposição, falta de vontade, de amor próprio e tudo resto, sim, aquilo com que nos apresentamos diariamente - exceptuando no Natal - fora de portas.
Acho que vou escrever ao Pai Natal, e contar-lhe acerca desta minha ideia...

Miss 5ª Feira

(risos) Hoje, a moçoila que aqui faz questão de se apresentar, como facilmente se percebe, aparece para reclamar a oferta de um colchão. Diz ela, e entende-se, que não dá para dormir naquelas condições. Basta olhar para o seu ar cansado para ficar com pena, imensa pena... (risos)

E se?

E se... Te roubassem toda a liberdade?
O que farias?

Ouvi dizer...

Ouvi dizer... Que várias profissões estão em vias de extinção. Mas, na verdade, todas elas continuam a existir. Estão é dentro de um programa informático qualquer. Ouve-se cada coisa!

Acerca de mim

A minha foto
Portugal
Sempre algures entre o hoje e o amanhã, sem esquecer a memória.

JACKPOT

JACKPOT
Música Anos 70, 80 e 90

Porto Canal

Porto Canal

O Livro do Ano

O Livro do Ano
Escrito por uma Deusa e um Sonhador... em nome de um Ângelo

...Sempre...

...Sempre...

Blog Archive