terça-feira, 30 de setembro de 2008

Filho de Blogger tem... Blogue.

Como não poderia deixar de ser, o Ângelo, ainda dentro da Deusa, deu-se ao luxo de surpreender os Pais criando o seu próprio Blogue. É verdade! (risos)
Costuma-se dizer que filho de "Blogger sabe Blogar", e este parece ser o mais recente caso da evolução humana,... Postar directamente do ventre.
Confesso que, enquanto Pai, fico orgulhoso com mais este "gesto" do meu primeiro Filho. E mais orgulhoso ficarei quando ele seguir também as minhas preferências clubísticas, independentemente das interferências que se avizinham.

Pensamento... À minha maneira.

- Há momentos que só conseguem ser devidamente explicáveis quando se avalia a reacção que provocam em quem os vive.
Francisco Moreira

Podes Levar... É tua.


Obrigado pelas Visitas
...comentadas em "on" ou "off".

?

- Que sentimento te descreve melhor?

Sem Nome

Vou chamar-te de abandonado,
a ti que vejo em todos os lados,
a ti que não olho nos olhos,
a ti que passas ao lado da "gente".
Vou chamar-te pessoa,
a ti que não tens nome no jornal,
a ti a quem catalogam de animal,
a ti que te calam com esmolas.
Vou chamar-te consciência,
a ti que não compras marcas,
a ti que te serves de sobras,
a ti que te vêem como obstáculo.
Vou chamar-te pesadelo,
a ti que não tens morada,
a ti que julgam não saberes nada,
a ti que um dia poderás ser... eu.

Pensamento... À minha maneira

-Quando se olha para o espelho sem "olhos de ver", não é ele que responde às nossas perguntas. Somos nós, imitando a sua voz.
Francisco Moreira

?

- Que "porta" trava mais o teu objectivo?

Bonecas de Imaginação

É quando os semáforos travam a minha pressa que melhor "fotografo" os "repentes" dos dias de hoje e os comparo com os de outrora. E hoje, deu-me para reparar na falta de brilho das crianças que circulam de mão dada com... o telemóvel.
Já repararam que não se vêem crianças a "ensinar" as bonecas a atravessar a rua? Já não se vêem crianças "investidas" de pais responsáveis a ensinar os "truques" da vida? Já repararam que as bonecas fazem parte do imaginário... televisivo e que os seus exemplares estão em vias de se transformarem em objectos de mudeu?
Onde param as bonecas? Terão inflaccionado mais do que a crise económica?
Os passeios andam menos coloridos, mais "high-tech"... E tudo isto porque alguém se lembrou de trocar as bonecas de vestidos coloridos por capas de telemóvel que, não laváveis, podem ser sempre substituídas por cores mais "fashion".
Um dia destes, quando perguntarem a uma criança como se chama a sua boneca preferica, ela responderá "TAG".

Conseguir e... Cair

Quase semanalmente, passam-me pelos "olhos" e pelos ouvidos gravações mais ou menos profissionais de amadores que querem ser artistas. Muitos têm alguns dos "condimentos" necessários para chegarem a esse reduzido bolo, de outros... nem vale a pena falar.
Logicamente que todos devem sonhar com o sucesso, com um percurso numa área que agrade, que lhes dê prazer e que sirva de incentivo para uma vida com mais "vontade"... Mas o principal problema com que me deparo é o de tanta, tanta gente não entender que até os verdadeiros artistas estão em crise, até os verdadeiros artistas já não conseguem editar discos, dar concertos nem viver da sua arte, da sua "persistência" e "resistência".
Portugal é um país pequeno e, como tal, todos acham que se tiverem a oportunidade certa no tempo exacto poderão rapidamente ultrapassar a barreira que separa os "inexistentes" dos considerados "artistas" e, a partir daí, chegar ao mar de autógrafos, às capas das revistas, ao "desfile de vaidades"... Mas, conhecendo bem este meio, as questões que atiro para o "ar" são: Será que aquele artista "conseguiu" mesmo? O que fez para "conseguir"? O que é "conseguir"? Quanto dinheiro amealhará com o "conseguir"? Quanto tempo durará o "conseguir"?
Quase todos preferem passar à frente e não "decifrar" o tal do "conseguir". É que, por muito que custe chegar ao "conseguir", não há pior dissabor do que viver com o "depois de conseguir", ou seja; o "cair".
...E tenho tantas histórias incompletas para vos contar, tantas. Mas, sejamos positivos. Pelo menos "um num milhão" irá "conseguir"... não "cair". É que se fizerem bem as contas, em Portugal, existem cerca de 10 que "conseguiram" não "cair"... em 10 milhões.
(faço notar que, apesar do que escrevi ser um retrato do dia-a-dia da área referida, acredito que há quem consiga "lá chegar" e lá se "aguentar")

"Outros Tempos"

Não sei bem porquê mas parece-me que este verão vai começar lá para Dezembro... Quando já não houver férias para ninguém.
Por isso, para o próximo ano, equacionem marcar férias de verão para o inverno, sempre têm mais hipóteses de encontrar bom tempo.
segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Pensamento... À minha maneira

As exclamações não vivem exclusivamente de palavras. Por vezes, é nas reticências que se julgam perdidas que se encontram as melhores frases.
Francisco Moreira

?

- O que mais te irrita neste momento?

Porto Canal... à Moda do Porto

Faz hoje precisamente 2 anos que arrancaram as emissões regulares do Porto Canal. Um canal de televisão pequeno que não pára de crescer, de se afirmar e, principalmente, de criar uma relação "umbilical" com o norte do País, mesmo sendo visto em todo o território nacional e Europeu.

Entrei no Porto Canal quase três meses depois desse 29 de Setembro de 2006. E nesse mesmo dia sentia-se uma vontade de manter no ar "aquilo" que tantos vaticinavam ter pouco "oxigénio" para respirar mais do que alguns meses.

Hoje, depois da Gala do 2º Aniversário, que teve lugar ontem à noite na Casa da Música, recordo os rostos dos que ainda lá estão e a vontade em "ser-se audiência", por pequena que fosse... Não parece que foi "ontem", nem parece que tudo está "diferente", mas há efectivamente semelhanças que, mesmo com melhores equipamentos e uma maior equipa, não deixam de fazer do Porto Canal uma televisão "à moda do Porto".

O meu mundo é rádio e não a televisão, mas não posso deixar de sublinhar que já tenho uma "costela" em forma de "plasma", embora ainda sem "High-Definition".

Caras Lindas... sem Photo-Shop

Há famílias lindas, e não me refiro apenas às "caras"... Neste caso concreto, tenho que vos falar de uma família com quem, eu e a Deusa, temos tido o prazer de partilhar alguns bons momentos nos últimos tempos.
Independentemente do "mediatismo" que o "rosto" facilmente possa "conotar", há que fazer sobressair a energia positiva que rodeiam a Andreia, a Catarina e a Cristina. Seja pelo trato, pela entrega ou pela simplicidade com que "sabem estar", esta família Caras Lindas merece nota máxima.
Não vos vou maçar com o relato das peripécias, gargalhadas ou "histórias" dos dois últimos fins-de-semana em que estivemos juntos mas, não quero deixar de assinalar uma imagem de marca que merece ficar registada. Falo do "Aquele Setembro", uma frase escrita que, independentemente do futuro, traduz, em duas palavras, momentos em que os gestos, os olhares, as palavras e os significados assumem contornos que nos "sabem bem".
Mas o mais interessante é que, das três mulheres que compõe este "clã", cada uma tem o seu espaço, o seu "ser", a sua "luz", a sua essência... E quando assim acontece, é sinal que as fotografias são autênticas e não meras reproduções "revistas" em função do "photo-shop" do "barómetro cor-de-rosa" com que alguns "atiram para o ar" por, simplesmente, não conhecerem.
sexta-feira, 26 de setembro de 2008

A Pergunta...

- Será mal-me-quer, bem-me-quer ou... um trevo com centenas de folhas?

Em frente.

Estás a ver? Presta atenção.
Não tem que enganar, é sempre em frente.
Não, não viras em lado nenhum!
É sempre em frente.
Qual cruzamento, qual quê?!
Não há cruzamentos.
É sempre em frente, sempre.
Olha bem, não te enganes.
Não viras em lado nenhum, lembra-te.
Curvas? Quais curvas?
Não é por aí! Vá, volta atrás.
Eu não te disse para ires sempre em frente?!
Acho que só lá vais de... carris.

Passe

Este é talvez o autocarro que mais gente apanha ao virar dos dias... O autocarro da descrença, dos problemas, das contas que nunca ficam saldadas, das promessas que não passam de palavras, sejam elas políticas ou não.
Este é o autocarro que mais gente odeia ao virar dos horários... O autocarro que podia chegar mais tarde ou nunca, que podia fazer greve para sempre ou perder o prazo de validade numa das paragens anteriores.
Mas não, este é o autocarro do hoje que nos pergunta pelo amanhã, sendo que o ontem já foi repetido vezes sem conta... E ainda por cima, não falta gente com "passe", o "passe" do declínio que faz sempre o mesmo trajecto, dia a após dia, paragem após paragem...

?

- O que te dá verdadeiramente pena?

Pensamento... À minha maneira

Quem se ri do palhaço por vezes esquece-se que, por trás das "pinturas", pode esconder-se uma enorme "gargalhada", de sabedoria.
Francisco Moreira

Novamente.

Sabes que horas são?
Olha lá para o relógio.
Há muito que passou da hora,
...e amanhã também é dia.
Vá, vai deitar-te!
Precisas dormir,
descansar e sonhar...
Sabes que horas são?!
Olha para o relógio!
Não te mintas com desculpas.
É que amanhã precisarás delas,
sim das desculpas,...
...e novamente.
quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Talvez... "Improvisar"

video

Talvez... "Mulheres"

video

A crise da Mulher de Bigode

A pele anda cada vez mais "retalhada", mais falsa, mais "preocupada". Já nem o "botox" ou o "esticar" fazem milagres perante um espelho cada vez mais exigente.
Já lá vão os dias da "água e sabão azul", os dias do "é preciso é trabalhar" e os tempos do "Nívea é que é bom"...
Hoje, mais do que nunca, envenenam-se e matam-se animais como cobaias daquilo que as "peles" mais desejam poder "parecer".
Não sei como era no "antigamente", naquela altura da "mulher com bigode ninguém a...", mas deviam haver outras modas, outros "cremes da eternidade".
O problema é que já não são apenas as mulheres que se preocupam com a inflação dos cosméticos, os homens também estão atentos à crise na bolsa das "aparências", para gáudio das "carnificinas industrializadas".

Pensamento... À minha maneira

A fé não está no "barro" nem por debaixo do "véu". Está naquele acreditar que nos aproxima ou distancia do... continuar.
Francisco Moreira

"Viúvas"

Chegamos à era das "viúvas", aquelas mulheres que "enviuvaram" de um qualquer "falecido" mandado às urtigas ou vice-versa, e que optaram por manter o "luto", um luto versão "viúva-alegre".
Não tenho nada contra isso, nem nada a favor... limito-me a surripiar uma ou outra observação, constatação e, por vezes, uma pequena opinião.
Está na moda ser-se "viúva", ser-se "independente", estar em "pausa", tirar umas "férias", ir "andando", enfim...
O que realmente se nota, e aqui é que o "véu levanta o rabo", é que há um decréscimo do número de disponíveis em versão masculina, pelo menos em número que consiga "dar conta" dos rombos na balança dos sexos. Mais ainda com a abertura de muitos "armários"...
Esta nova "viuvez" está do pior, e para durar... Mas com alegria, está claro.

- Uhfff!

Há odores que "ajudam" e há cheiros que "repelem"... e os "outros", aqueles que nem são nem deixam de o ser.
E é neste combate em que temos receio de "meter o nariz" que deambulamos dia-a-dia entre os bem cheirosos, exageradamente cheirosos, não cheirosos e mal cheirosos.
Por vezes, esta questão dos "cheiros", parece uma espécie de moda onde, cada um, escolhe o"cheiro" com que quer "desfilar".
Devia haver uma lei que proibisse certos e determinados odores de interferirem no nosso espaço, devia haver um limite de "propagação" para os "perfumes" que nos atacam de surpresa quando estamos indefesos, entre uma "inspiração" e uma "expiração".
Não é justo termos que usar à força as "marcas" que não queremos, principalmente sem os conhecermos de lado algum.
Até parece que se inverteu o tal lema do "meter o nariz". Agora dá vontade é de o "meter para dentro", ao nariz, está claro.

?

- Quantas vezes te prometeste deixar de fumar?
quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Pensamento... À minha maneira

É no amor que se encontra a chave da vida. Sim, aquela que abre todas as portas que a falta "dele" teima em fechar.

Incomparável

Arranca na próxima 5ª Feira a 8ª Edição do (perdoem!) Melhor Concurso de Karaoke do País. Quer isto dizer que vai começar a "corrida das emoções", o "mar de sonhos", o "acreditar mais"... E ainda bem que assim é.
Todas as 5ªs e 6ªs Feiras, pelo menos por uns meses, serão várias as vozes vindas de "todos os lados" que embarcarão no desejo de chegar à Grande Final. Vencer? Isso é "outra história"...
Dos profissionais aos amadores, passando pelos "pintas" e "pseudo-artistas", este é o Concurso onde todos são iguais, pelo menos "à partida".
São muitos os que esperam por esta oportunidade que o Concurso do Vice Versa proporciona. Serem ouvidos e vistos por profissionais, serem aplaudidos por um público atento, terem os melhores meios à sua disposição... Sem falar do "ruído" da rádio, da televisão, dos jornais...
É que, ano após ano, a qualidade mantém-se ou, se calhar, melhora. E sempre no pressuposto de que todos os intervenientes têm a noção de que estão presentes no melhor evento do género. Tentamos sempre fazer o nosso melhor, tentamos sempre que "naquele instante" o "pior" concorrente esteja ao nível do "profissional". É desta forma que vivemos intensamente cada um destes Concursos Vice Versa.
Que assim seja, que assim continue... E já a partir desta 5ª Feira, no local de Sempre, como Sempre.

"- Ele está pronto."

Como "pai pela primeira vez", cabe-me registar que a ansiedade começa a fazer os seus efeitos, inclusive colaterais... Estou efectivamente mais tenso, mais nervoso, mais preocupado, mais atento.
Hoje, numa das aulas pré-parto, apercebi-me que a "hora" está a chegar, que poderá ser a qualquer momento... Mesmo sabendo que a "data" anunciada é 17 de Outubro.
As "luas" dizem que pode ser já neste dia 28... E hoje são 24, facto que me arrepia e me deixa ainda mais ansioso. Eu? Eu digo que o Ângelo nascerá a 13, um dos meus dias da sorte.
Mas hoje, o que mais despertou as minhas "orelhas", foi ouvir a enfermeira Isabel dizer-me nos olhos "- Ele está pronto". Foi como se levasse um estalo seguido de um "-Acorda! Pode ser hoje, sabias?!"... E é aqui que a frase mais me "mata", logo esta, logo dita a mim, este ser com a mania de controlador habituado a "dead lines" cumpridas até ao último segundo.
Qual "dead line", qual quê?! Está na hora da "Life Line"... E é aqui que tudo começa, que tudo se transforma, inclusive esta minha paranóia de achar sempre que 1 minuto ainda é muito tempo para fazer isto, organizar aquilo e ainda adiantar aquele outro... Está visto, vai ser difícil aturarem-me nos próximos dias. (desculpem)
terça-feira, 23 de setembro de 2008

Pensamento... À minha maneira.

"A essência das atitudes encontra-se naquele minúsculo instante em que a intenção se sobrepõe ao gesto e permite-nos separar o trigo do joio."
Francisco Moreira

Areia


O tempo anda "armado" em "fugidio"... E eu para aqui sem grandes intervalos para vos ver, vos ler, vos escrever...
Há alturas em que fico revoltado com o relógio e o "insulto do pior"... Até parece que o tempo esconde as horas, isto para não falar dos minutos que teimam em desfilar vestidos de transparência.
Um dias destes compro uma daquelas ampulhetas e "enfio-lhe" um balde de areia. Aí, vou rir-me das voltas que darei ao tempo em jeito de vingança. É que há alturas em que a areia nem me deixa brincar um pouco, de tão pouca que é e me escapa por entre os "dias".
sábado, 20 de setembro de 2008

Boas Viagens... sem Rotina.

O fim-de-semana tem outro valor quando engloba uma viagem, nem que seja uma viagem de uns meros 10 quilómetros... Desde que seja para um local não habitual, valerá "mais a pena" do que o "caminho" de sempre repetido vezes sem conta.
Viajar faz bem à alma e ao corpo, mesmo quando nos faz ficar mais cansados, mesmo quando nos "assalta" a carteira.
Infelizmente, não se pode viajar tanto quanto se deseja, mas vale a pena respirar "outros oxigénios", nem que seja por umas horas. Não vale? Claro que vale.
Viajar, é a melhor maneira de sentirmos que, afinal, há muito mais mundo do que aquele percurso que o carro sabe de "cor e salteado".
quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Inquilino

Ultimamente, muitas vezes, tenho-me sentido em sintonia com a imagem deste Post. São horas e mais horas sentado numa cadeira, dias e mais dias ali "enfiado"... Felizmente tenho a sorte de as encontrar confortáveis e sem "reclamar do meu peso"...
Quando me imagino no papel da cadeira, fico com pena da "profissão" que lhe coube, ainda por cima sem direito a escolher o "inquilino". É que, até eu já estou saturado de me "aturar" nas várias cadeiras por onde me "instalo" em jeito de "eternidade", ainda por cima na mesma posição.
quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Pensamento... À minha maneira.

"Por muito que sonhemos com o paraíso, ele não não cairá do céu. Mas pode ser construído em função da maneira como o construímos na terra."

?

- Qual é a canção que mais te seduz?
terça-feira, 16 de setembro de 2008

Doentes

Há uma nova geração de guerreiros, uma nova e vasta arena de confrontos e uma "lei da selva urbana" que não respeita o que está escrito.
A democracia passou a ser uma utopia e a "pena" uma consequência destinada apenas aos velhos "soldados de chumbo". Há sempre um "libertador" ao "virar de uma carteira recheda", mesmo que "ensanguentada".
Parece que voltamos ao "olho por olho, dente por dente", e que tudo o que vimos na televisão acontece ali à nossa porta, bem è frente do nosso olfacto.
Será a "falta" que semeia a desordem? Será o "desejo desenfreado" que provoca as lutas?
Estou em crer que esta nova geração de guerreiros já nasce em "convulsões sociais" dominadas pela "insanidade" do desrespeito, do "não olhar a fins" para controlar os meios.
E nós aqui, cheios de medo que, num minuto destes, seja à nossa porta que decidam apresentar-se de "encapuçados" armamentos distribuídos a preço de saldo.
Cuidado com os guerreiros, eles são novos, destemidos e... "doentes".

Jogos

Hoje já não se dá tanto valor aos pormenores, aquelas "horas a fio" onde nos entregávamos à simplicidade de um jogo, nos entretínhamos com a verdade do "estar"...
Hoje, até nos jogos, a pressa é uma fasquia imposta, uma "lamina" sob a forma de cronómetro, tal é a pressa de chegar, tal é o cheiro a "sangue de vencer"...
Provavelmente somos os culpados, somos os artífices do entretenimento em forma de guerra, onde o que conta são os "níveis" ultrapassados sem se ver quem está à nossa frente... É que, os vencidos já nem estão à nossa frente, mas sim do outro lado do mundo, mas na mesma "sala de estar".
E é nesta nova forma de jogar que as pessoas se encontram, se provocam e se gladiam, como se o mundo tivesse que acabar amanhã, ao desligar de uma "playstation".

?

- O que mais te revolta nos dias que correm?

Pensamento... À minha maneira.

"Mais do que um jogo, a vida deve ser encarada como uma guerra, onde temos obrigação de conquistar o bem e o direito de afastar o mal."
sábado, 13 de setembro de 2008

Faltam 5 Semanas

Uma noite destas estremeci.
A barriga da Deusa, madrugada dentro, estava encostada a mim, e senti algo a bater-me nas costas... E não era um bater qualquer, parecia um chamamento, uma espécie de "acorda, estou aqui"...
Aquele bater manteve-se por longos minutos, e não era o bater de um coração... Pareciam mãos ou se calhar pernas a tentar dizer-me que estava alguém ali, encostado a mim, e também sem sono... E não, não era ela.
A ignorância de um primeiro filho leva-nos a uma aflição do género "não sei o que fazer"... Felizmente, passados alguns enormes minutos, aquele "bater-me nas costas" parou, como que a libertar-me de uma sensação estranha, como que a dizer "até já"...
Hoje, alguns dias depois, chego à conclusão que era o Ângelo a comunicar directamente comigo pela primeira vez, como se esta fosse a primeira das muitas conversas que teremos ao longo da vida, da nossa vida.
Fiquei assustado, mas feliz... Foi a mim que ele bateu nas costas, à homem.

Fim-de-Semana

Alguém se lembra dele?
Então, bom fim-de-semana.
sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Degraus

Anda para aí muita gente a "meia-dúzia" de degraus do amor mas, mesmo assim, comporta-se como se estivesse num continente atravessado por dois oceanos.
Nestas coisa do amor, o que tiver que ser, é.
Quer dizer, falar é fácil, e se for de "barriga cheia" ainda melhor.
No fundo, no fundo, com isto, quero apenas dizer que, se quem ama se esforçasse tanto no amor como se empenha na "guerra", teria muito mais "batalhas" para celebrar.
Cá por mim, apostaria no amor... Sempre dá para "sarar feridas" de outras "guerras", inclusive de amor.

?

- Que legenda adicionarias ao ódio?

Pensamento... À minha maneira.

Por muito que o olhar tente esconder as palavras, há sempre um "piscar de olho" que debita uma "enciclopédia" de emoções.
quarta-feira, 10 de setembro de 2008

"Para aqui"

Um dia destes perguntaram-me onde vou "roubar" os textos, as frases, os pensamentos e as dissertações que "para aqui" escrevo.
Lembro-me de ter respondido que efectivamente "roubo" e muito. "Roubo" as imagens com que tento ilustrar o que "para aqui" vou escrevendo...
Ah, pois, a pergunta era "onde roubo o que escrevo"... Bem, pensando melhor, "roubo" tudo a mim mesmo, ao autor.
Manias de quem "não tem mais nada para fazer"... nos intervalos.

Pensamento... À minha maneira.

Nem toda a precisão do mundo consegue alcançar o equilíbrio das emoções.

?

- Quem estabelece o ritmo, nós ou o tempo?

Ponteiros

Mesmo quando me pergunto "que dia é hoje", fico sempre com a ideia que a resposta depende directamente da hora do dia em que me coloco a pergunta.
Não sei porquê - ou melhor, sei mas não quero dizer, sinto que para mim, de manhã, o dia sabe a recesso, sabe a ontem. Por outro lado, quando chega a noite, sinto que já produzo para o dia seguinte e que o "hoje" já "aqui não está".
Se assim é, por estas contas, agora que o meu relógio jura serem 14H41, posso afirmar com todos os dentes que o hoje, a esta hora, é... hoje. Certo? Certo.
Até me apetece abrir uma daquelas garrafas de "Moet Chandon" para celebrar... É que, ao contrário do relógio, eu só "estou certo" uma vez ao dia.
Pena é só ter reparado hoje, quer dizer, ontem ou talvez amanhã... Afinal que horas são?

"Bois"

Sou daqueles que têm a certeza que, de orgulhoso e teimoso, todos temos um pouco. E, se calhar, não há mal nenhum nisso...
Onde já se viu pessoas sem personalidade? Até pode ser menos vincada, mas está lá, na gema.
Onde se chega sem convicção? A lado nenhum, só se nos empurrarem.
É tudo uma questão de "termos". Se usarmos "uns" somos "terríveis" e se recorrermos a "outros" somos "intelectuais".
É nestas "trocas e baldrocas" de palavras que nos andamos a perder... Tenho saudade daquele tempo em que se chamavam os "bois pelos apelidos" e, entre um fino e um pires de tremoços, tinha-se orgulho em ser teimoso.
terça-feira, 9 de setembro de 2008

Talvez... "Exemplo"

video
segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Candeia


Muitas vezes me pergunto se é aqui que quero estar, se é isto que quero fazer e, logicamente, o tradicional "para onde vou"...
Das mesmas vezes dou comigo a responder-me com a certeza do hoje e a prova do ontem debaixo do braço que me levará ao futuro...
Mas à minha volta nem sempre vejo acesa a tal "luz do túnel" que encandeia os projectos e os transforma em resultados ditos positivos.
É lógico que a vida é intermitente e vive - também ela, de "cortes" de luz, de pontes inacabadas e de perguntas ainda sem resposta...
Por outro lado, mesmo sem saber explica-lo em palavras, sei que há uma força que me empurra, que me coordena e me incentiva a continuar... Sempre com as provas debaixo do braço e a "candeia do sonho" a alumiar o meu caminho.

?

- Se é a luz que dá vida, porque te apagas tantas vezes?

Acerca de mim

A minha foto
Portugal
Sempre algures entre o hoje e o amanhã, sem esquecer a memória.

JACKPOT

JACKPOT
Música Anos 70, 80 e 90

Porto Canal

Porto Canal

O Livro do Ano

O Livro do Ano
Escrito por uma Deusa e um Sonhador... em nome de um Ângelo

...Sempre...

...Sempre...

Blog Archive