sábado, 31 de maio de 2008

Break the Rock... NOW!

Chama-se "Break the Rock" e é um Blogue que nasceu há poucas horas. Pertence ao Luís, um amigo recente que, por sinal, é noivo da única afilhada que tenho na Blogosfera... e mais não revelo.
Lembro-me de quando publiquei o meu primeiro Post e gostaria imenso que registassem o do "Break the Rock" passando por lá, nem que seja para dizerem Olá. Sabe tão bem... Obrigado.


Nem eu, nem o Luís, ninguém sabe quando termina um Blogue, mas há que enaltecer a criação de mais um e saber receber bem alguém que passará, na medida do possível, a estar connosco. Sê Bem-vindo "Break the Rock"!
sexta-feira, 30 de maio de 2008

Talvez... Rir

video

- É meu!

Não me peçam para explicar nem para arranjar provas de carácter científico, mas eu acredito que tenho um Anjo que está sempre a tentar corrigir os meus passos em falso, mesmo deixando-me cair de quando em vez para ver se aprendo. Mais, acho que cada um de nós tem um Anjo, podem chamar-lhe o que quiserem, mas para mim é um Anjo. Pelo menos foi o nome ou título que, na minha opinião, melhor se identifica com aquele ser superior que eu imagino, com quem reclamo e a quem, confesso, já pedi inúmeras coisas em troca de promessas de convicção relativa, dependendo dos resultados, está claro.
Não me crucifiquem por ser egoísta ao ponto de achar que há um ser superior que tem como missão tomar conta de mim em sistema de exclusividade.
Sei que, com isto, pode parecer que questiono o tempo útil de Deus - seja ele qual for, para tomar conta de todos, e somos cada vez mais.
Não sei, também não tenho respostas, nem sei se ainda as procuro... Mas acredito que o meu Deus se investe de Anjo e tem o difícil papel de me aturar. E acreditem que lhe estou muito grato, não queria era estar no papel dele.

?

- Mantens o caminho que idealizaste?

"Sexualidades"... no Porto Canal

Apesar de ser emitido 30 minutos mais tarde do que o horário inicial, o "Sexualidades, Afectos e Máscaras" é daqueles programas que fazem bem à televisão Portuguesa. Não só pelo tema, mas principalmente pelas excelentes perguntas da Jornalista Maria José Guedes e pelas sábias respostas do Sexólogo Manuel Damas.
Mais logo, no Porto Canal, quando for 1H00 da madrugada de Sábado, evita perder um espaço televisivo que não deixa ninguém indiferente, principalmente pela sua qualidade...e pelas as suas inúmeras "cores".
*Repete à mesma hora de domingo para segunda-feira.

Aproveita!

Cá está ele!
Sim, o sexta-feira,
este simpático convite
vestido de desejo
para que
o teu
fim-de-semana
seja
no mínimo
Muito Positivo.
Aproveita!
quinta-feira, 29 de maio de 2008

Talvez... "Aprender"

video

Não custa tentar...

...e, por acaso, tive que atestar hoje.

Condenados

Proponho que imagines que uma parte do mundo é tua, apenas tua, e que nela podes fazer o que bem te apetecer.
Por onde começarias a construir o teu mundo? Sendo que o zero é a imagem que aqui te proponho...
Vá, não me digas que ias buscar terra ao "mundo ao lado" ou que importarias um iate topo de gama... É que, se não te disse, regista que o zero significa absolutamente nada, inclusive importações...
Pois, provavelmente pedirias para regressar ao mundo onde estás, é que nele ainda há por onde meter mais ou menos água, mesmo que a lua em forma de consciência à distância continue como testemunha.

- Cala-te boca!

Muitas vezes tenho vontade de "me ter calado", sou daqueles a quem chamam "desbocados". Não sei se é mania ou defeito, mas que causa alguns dissabores e arrependimentos, lá isso causa.
Seja por uma frase descuidada, por uma palavra a mais ou por uma informação reservada, caio muitas vezes no erro do "coração à beira da boca". Mas, bem feitas as contas, há algo de bom neste enorme defeito; não podem acusar-me de ser falso. É que, graças ao ruído que gero, não há silêncio que me condene. Posso é "morrer" do efeito, e aí já são outros quinhentos...

?

- Já te sentiste assim muitas vezes?

Retocar

Os desenhos têm o dom de mostrar muito daquilo em que não reparamos de cada vez que olhamos de frente para o espelho. O desenho retira-nos a rede da roupa, da maquilhagem, do brilho com que nos pintamos para o dia-a-dia.
Acho mesmo que, independentemente dos dotes artísticos que possamos ter ou não nesta área, deveríamos tentar pintar o que nos é dado a ver do todo que somos. Talvez assim conseguíssemos corrigir muitos dos "traços" que, sem repararmos, alteram as feições com que nos damos ao mundo.
É que; por muito que nos "retoquemos", jamais teremos a afinação certa para pintar as mazelas com que desbravamos o nosso próprio caminho...
quarta-feira, 28 de maio de 2008

Traição

Estão sempre a dizer-me que tenho que comer mais fruta, que é necessário substituir o excesso calórico por algo mais saudável, algo - garantem, ainda mais saboroso.
Talvez com imagens como esta me convença a trocar um belo de um repasto por uma colorida salada de frutas.
O problema será explicar ao sal o porquê de desta traição.

?

- Qual é o teu sonho enquanto adulto?
terça-feira, 27 de maio de 2008

Indecisão

Serás verdade ou mentira?
Provavelmente és uma corrente
ou uma pedra no sapato,
talvez mesmo uma sentença.
Serás luz ou escuridão?
Provavelmente és uma esquina
ou um caminho sem direcção,
talvez mesmo uma ilusão.
Serás vida ou morte?
Provavelmente és tristeza
ou falência emocional,
talvez mesmo reticências...
Serás tu ou tu?
Provavelmente és pergunta
ou uma lenta perspectiva,
talvez mesmo uma indecisão.

?

- Para onde detestas que mais te empurrem?

Revê-te

Repara bem no rosto desta senhora... Perde um instante a tentar ler-lhe o presente, a decifrar o sorriso enrugado de uma "Mona Liza" que está ao virar de cada quadro,de cada rua, de cada casa...
Repara bem no seu olhar, naqueles que poderão ainda ser os seus sonhos, os seus desejos... Por acaso vês Paz, vez a guerra do passado, consegues decifrar sentimentos, reclamações, insatisfação?
Agora, tenta reparar bem em ti. Coloca-te em frente ao espelho do hoje e compara-te com a imagem desta senhora. Diz-te que semelhanças encontras, que lugares procuras, que destino te reservas...
De cada vez que vejo um rosto como este - e há tantos por aí, sinto-me completamente vazio de experiência, de história, de vida. É que, caso não repares, a vida tem muito mais marcas do que aquelas pelas quais nos lamentamos a todo o instante e, comparando-me, chego à triste conclusão que de cada vez que fico triste deveria abrir um sorriso pois, o exemplo que apresento é sinal de vontade, de perseverança, de coragem, de verdadeiro passado.
Repara novamente no rosto desta senhora... Perde mais um instante para te veres e perceberes que os teus momentos ainda não te ensinaram o suficiente para alcançares aquela Paz e aquele suposto Sorriso.

Paraísos...

...em Portugal.

Blogueiros do Asfalto

A Olá - que, para rimar, muito passa por cá, está a organizar um "Cumbíbio na Imbicta" lá para o dia 28 de Junho. Li pelo seu cantinho, um tal de http://coisasdevidas.blogspot.com, que vai ser de arromba, com cantorias e outras iguarias que garantem diversão absoluta. A lista já vai em 38 Blogueiros, alguns dos quais também por aqui andam e, pelos vistos, vão ser todos transportados no autocarro da @nn@, sem necessidade de passe ou 95 octanas a €1,58/litro (preço estimado para a altura)..
Gostaria imenso de convidar muitos dos que por aqui passam, tanto mais que uma das paragens será no meu "tasco", mas só poderão ir depois de passarem pelo "crivo" da Olá ou aceitarem fazer de queijo durante uma semana completa por baixo de um ratito que tem a mania que é trapezista e que não pára de se exibir no mesmo Blogue.
Há sempre uma alternativa; a de ir ao Blogue dela e colocar o nome na lista, que foi o que eu fiz. Depois?! Depois é aparecer no local combinado.
(esta é mais uma das boas razões para se Blogar, principalmente em tão boa companhia como aquela que se encontra por esta e outras bandas)

Talvez... Rir

video
segunda-feira, 26 de maio de 2008

?

- Qual foi o teu melhor jantar?

- Está difícil!

Há dias era notícia a exagerada quantidade de casas desabitadas. Salvo erro; falavam de meio milhão... E eu só quero uma.
Consta-se que os vendedores e mediadores teimam em não baixar a sua margem de lucro que, em alguns casos, é de 50% e preferem continuar a encher as páginas dos anúncios com descontos pouco verdadeiros.
Por outro lado, são os mesmos que dizem que não se vende, que ninguém tem dinheiro para comprar, que não falta quem queira vender... Mas - e aqui é que vem o "ridículo" da questão; as casas não baixam de preço.
Com isto, chego à conclusão que, apesar da crise, para se comprar casa tem que se pagar o equivalente ao preço de um castelo, embora a casa - e não o castelo, tenha actualmente como bónus reduzidas divisões e paredes de papel.
Pois, papel! É que, pelos vistos, mesmo numa altura em que o papel não existe continua a haver muito vendedor que ousa pensar que o seu "papel" é de ouro quando na verdade estamos na era do papel reciclado.
Sabem quantas casas novas estão à venda há mais de 5 anos?
Cheira-me que um dia destes a verdade virá ao de cima e serão ests casas "Novas" serão tratadas como "virgens prontas a usar"; é que de novas vão tendo cada vez menos e, registe-se, não é com o rápido nascer de "rugas" que ficam mais... apetecíveis.

- Coitadita!

Sou daquele grupo do "confesso" que prefere não falar muito quando as bases são mínimas, mas não deixo de ter opinião. É o caso.
Faz-me uma imensa confusão certos e determinados artigos que vou desfolhando na imprensa mais ou menos cor-de-rosa que assinalam determinadas mulheres/modelos como sendo Divas da Beleza. E é aqui que os "caixotes de lixo" devem ter vontade de vir à baila, sejam eles de quem forem.
É óbvio que inúmeras modelos da praça internacional - tentando eu ser ainda mais selectivo, são belas, bem feitas e mais coisa e tal. Mas, se formos verdadeiros no olhar, há tanta, mas tanta mulher tão mais bonita e elegante do que a grande maioria das que preenchem as capas de revistas e recortes de jornais... E falo das "ao natural", sem acesso ao tal "corta-e-cose" fotográfico.
Sou daqueles que acham que as mais bonitas e elegantes mulheres estão ao virar de cada esquina e não na tentativa fotográfica número 270 de um qualquer ensaio profissional.
Gostava de ver algumas das inúmeras mulheres da nossa praça a têm acesso a determinadas sessões fotográficas, muito provavelmente as tais das "Divas" estariam era atrás de um qualquer balcão a ouvir outro tipo de piropos, aqueles do tipo " - Coitadita, é feínha mas é simpática. Tem é que engordar um pouquito!"
Aposto em como há em todas as cidades Portuguesas mulheres muito mais bonitas e elegantos do que aquelas que ganham por minuto mais do que certos jogadores de futebol.
Não me exijam é que prove o que aqui sublinho pois, não quero andar feito paparazzi nem ser corrido para fora de casa.

?

- Qual é o guia a que mais recorres no teu caminho?
domingo, 25 de maio de 2008

Bom Domingo


Hoje pode ser um bom dia para "vestir" os óculos de sol e partir à descoberta de outros aromas, outros lugares, outros olhares.
Há sempre um dia em que podemos alterar algumas das nossas perspectivas, nem que tenhamos que recorrer aos óculos de sol.
sábado, 24 de maio de 2008

Aves

As figuras já não são o que eram, ou então foi o meu olhar que ganhou sobriedade em termos de análise objectiva.
As cadernetas já não são o que eram, farto-me de ver cromos irrepetíveis que transfiguram as ruas por onde passo.
As loucuras já não são o que eram, ou então sou eu que envelheço propositadamente o espírito critico para evitar ter que me identificar com o que não compreendo.
Está um lindo dia lá fora não está?!
Ainda bem que chove! É que desta forma, para não se borratarem mais, as "aves raras" se fecharam dentro das gaiolas alimentando-se de outro "alpista".

Adeus

Está tão longe a tua pele...
Será que ainda te lembras do vento,
aquele que nos abraçou em sintonia
num lacrimejante final de tarde?
Está tão longe o teu perfume...
Será que ainda te lembras da luz,
aquela com que me acendeste
numa paixão feita devaneio?
Está tão longe o teu Amor...
Será que ainda sentes as feridas,
aqueles lanhos eternos na memória
de um Adeus que perdura?
sexta-feira, 23 de maio de 2008

- És como?

Hoje estava a ler um texto no Blogue da Olá e deparei comigo a pensar no "como é que serão as pessoas que me lêem e que visito"... Não é novo, nem é a primeira vez... Provavelmente é mais interessante viver-se virtualmente do "nome ou nick" e não nos comprometer-mos com o rosto daquela pessoa a quem damos opinião e de quem recolhemos considerações.
Não chego a uma conclusão, eu próprio - apesar de já ter publicado algumas fotografias minhas, recorro a uma imagem com a qual, para já, em vou identificando, quando, naturalmente, poderia adicionar ao nome uma fotografia "tipo-passe"... Não sei, não sei mesmo.
Se calhar o melhor é mesmo assim, tanto mais que; quando os "virtuais" se querem mesmo conhecer ou identificar, recorrem a "reuniões" tipo a que terá lugar no dia 28 de Junho. Quem quer aparecer vai, quem não quer... arranja uma desculpa, sem que ninguém ouse questionar a sua veracidade.
Em resumo, chego à conclusão que esta treta dos "nicks" vs "cromos" foi criada para nos permitir algumas respeitosas liberdades que, de outra forma, provavelmente não teríamos.

Pormenor

Deixei de usar relógio há cerca de 1 ano e meio, não sei bem porquê... Mas, ao contrário do que imaginara, consigo viver sem ele, e logo eu que não sei como fazer valer as 24 horas que dizem ter o dia.
Logicamente que me faço valer do telemóvel de forma a não chegar sempre atrasado aos "mil e quarenta e cinco" agendamentos do mês.
Pensei que sentiria mais falta, que o peso do "objecto" faria a diferença, que me sentiria despido... É uma questão de hábito, inclusive nas cerimónias já nem me lembro de levar o "dito".
Sé tenho pena é de não me conseguir desprender tão facilmente do tempo, tal como me "desliguei" do relógio.
Será que o telemóvel também me pode ajudar neste pequeno pormenor?

Mistério

O mistério, seja no que for, é o que mais interesse desperta, daí poder muito bem ser considerado o melhor dos investimentos.
Não é por acaso que tantas vezes se diz que é no "segredo que está o negócio", logicamente que o segredo é o mistério levado ao expoente máximo.
Não sou muito dado a mistérios nem a segredos, talvez por isso seja menos bom em negócios. Encaro o dia-a-dia com frontalidade -embora sem abrir completamente o "jogo", e entendo que as "coisas" devem ser claras.
Mas que um ou outro mistério podem gerar melhores resultados, principalmente para o "proprietário dos direitos de autor", lá isso pode... Burro sou eu em não dar mais crédito aos segredos e transforma-los em invisíveis mistérios.

"Sexualidades"... no Porto Canal

Agora um pouco mais tarde, à 01H00 da manhã de Sábado, o "Sexualidades, Afectos e Máscaras" continua a provocar os sentidos no Porto Canal. Seja pelas perguntas da Jornalista Maria José Guedes ou pelas respostas do Sexólogo Manuel Damas, este é um espaço a não perder no Porto Canal (TV Cabo).
* Repete na madrugada de 2ª Feira às 00H30.

?

- A quanto gostarias que estivesse o combustível? (risos)

Aproveita!

Lembras-te do "Sexta-Feira"? Pois bem, cá está ele uma vez mais para te desejar um fim-de-semana em grande, faça chuva ou faça sol.
Acredita que o melhor fim-de-semana começa sempre pela forma como o encaramos e pelo quanto e como nos propomos a fazer dele um "pedaço" de momentos excelentemente bem aproveitados.
O fim-de-semana está aí, agora cabe a ti aproveita-lo...
quinta-feira, 22 de maio de 2008

Ursos

Não sei se já aconteceu com algum de vós, mas confesso que o meu passado teve alguns momentos que, hoje, podem ser considerados idiotas. Falo de sexo ou com idêntico significado.
A imagem que aqui adiciono faz-me lembrar alguns daqueles "relacionamentos ocasionais" em que a "parte melhor" era o "cigarro". Poderiam ser batatas-fritas, pastilhas elásticas, pipocas... Mas não, o maldito do cigarro é que sabia bem. E reparem que não estou a compara-lo a outro prazer do "após as refeições, nada disso. Estou apenas a divagar sobre algumas pseudo-relações de carácter mais "íntimo" que, há umas décadas atrás, publicitavam em termos de "macho latino" mas que no fundo - pouco profundo e aprofundado, chegavam a transformar-se em terríveis decepções.
Ainda bem que havia o bendito cigarro que, entre passas, servia de bengala para a desculpa a apresentar, aquela do... " - Até amanhã...", sendo que esse dia não tereria dirito a repetir-se.

Cabide

Nunca entendi muito bem o porquê de se dizer que é no mistério que está o ganho. Não é bem assim, mas faz de conta.
A roupa, com mais ou menos tecido, consegue efectivamente moldar o pensamento de terceiros, seja ou não num aspecto mais ou menos carnal. Logicamente que o "bonito é para se ver" mas ninguém gosta que o mundo todo fique a ver, no máximo - o mundo, pode pensar, sonhar ou desejar... Tudo isto para sublinhar que a mesma roupa não fica bem a toda a gente e que nem toda a gente consegue fazer de si algo apelativo em função da roupa ou falta dela.
Por isso, aquelas pessoas que retiram à roupa os centímetros que lhes fazem falta em mistério, deviam pagar um imposto de "desvalor acrescentado". É que mais vale cair em graça do que passar por "desgraçado".
Nem todos somos Pitt ou Jolie nem temos que o ser. E certamente que possuímos misteriosas qualidades que não têm que ser apresentadas ao mundo emolduradas em tecido, seja ele mais ou menos curto.
É por estas e por outras que continuo a achar que o melhor espelho é o da minha casa-de-banho e não a página 23 de uma qualquer revista onde a roupa pode ser igual à minha mas o "cabide" não sou eu.

- Tou! Tou!

Vivemos na era do agravamento da dificuldade em decorar números de telefone, inclusive dos familiares mais próximos.
Já repararam que cada vez mais recebemos chamadas telefónicas de curta distância a julgar que são do estrangeiro?
É esta "porcaria" dos indicativos com números nunca vistos tipo; 33, 002 e outros que tal.
Antigamente, telefonar com indicativo era um luxo e só acontecia naqueles casos em que se tinha um familiar a viver em Lisboa, Braga ou Aveiro. Quando lhe ligávamos sabíamos que tínhamos que fazer rodar o 02 na roleta dos números ou íamos às páginas brancas ver que digitos teríamos que adicionar ao número que já sabíamos de cor, independentemente da frequência com que ligávamos.
Hoje, trocaram o 02 pelo 22 e com a chegada dos telemóveis passamos a ter o famoso 0936 que mais tarde transformou-se em 96. E já ouvi dizer que se preparam para mudar os números outra vez...
Por incrível que pareça, não é de todo normal receber uma chamada do andar de baixo e atende-la como se me estivessem a ligar da Índia. Eu sei que é tudo uma questão de números, mas convenhamos que, nos dias que correm, já nem sabemos para que rede estamos a ligar com estes números ditos de portabilidade porque o "cu" nem sempre condiz com as "calças".

?

- Qual foi o pior beijo da tua vida?

Já faltou mais...

Estou precisamente a meio da distância que me afasta do primeiro abraço, a meio do caminho que me aproxima desse Ser, a meio de uma nova Vida que brotará com Luz.
Estou aqui, tranquilamente na expectativa desse primeiro encontro, para Sempre.

Correntes

E se todos fossemos livres, se a nossa liberdade não afectasse a liberdade dos outros? Seria interessante, não seria?! Pois, mas não creio que algum dia isso seja possível, teremos que nos conduzir de acordo com as regras ou pagar pelo seu "mau uso".
Pena é que a vida seja feita de correntes que cada vez mais nos apertam o cerco e nos fazem sentir que no cadeado da liberdade há sempre um elo mais fraco, um elo que nos aprisiona ou liberta, dependendo do lado em que está o "gancho", ou melhor; se somos ou não o "gancho".
quarta-feira, 21 de maio de 2008

Crosta

Cada vez mais se fala e deseja poder, seja ele de que tipo for. Já é habitual medir-se o peso dos lobbies e dos pontos ganhos ao longo de um determinado percurso de presenças e/ou aparências. É uma pena que não possamos ser avaliados pelo que efectivamente somos, produzimos ou criamos... É um facto que um determinado pormenor pode fazer toda a diferença, seja a mover montanhas ou a ganhar um lugar cativo para ao qual jamais se teria acesso.
A vida é feita de altos e baixos, principalmente nos "adereços" que acompanham os personagens. Ser-se principal, secundário ou figurante depende cada vez mais do local de casting e do acesso - directo ou lateral, a quem tem o poder de decidir.
É por estas e por outras que, dia-a-dia, são feitas injustiças de verdade inqualificável, seja numa conversa de café ou na gestão de uma multinacional.
E quem se lixa não é sempre o mexilhão, é sim quem tem uma "crosta" mais forte e com menos "incrustações" da oposição.

?

- Quando e como te dá mais prazer?

Sim ou Sopas

Invejo as pessoas que arriscam, que não se amedrontam com a forte hipótese de colapso, derrocada ou efeitos colaterais de importância quase vital.
Confesso que vou perdendo o espírito de aventura, muito graças aquilo que baptizaram de "experiência acumulada ao longo das vivências". Mas tenho vontade de fazer as minhas "apostas" - hoje mais pensadas do que nunca. E embora sendo eu um animal de "instantâneos", de "causa-efeito" imediata, de resposta na ponta da língua e, principalmente, de assumir as decisões até ao fim, vou aprendendo com os erros e cada vez mais com o apurar do poder de observação.
Infelizmente, as amarras vão sendo cada vez mais fortes e o peso das hipotéticas perdas assume um papel determinante nas opções. Contudo, e por outro lado, acho que jamais perderei o "defeito" de assumir e auto-encorajar aqueles passos que são dados no fio da navalha. Mas, na maior parte do tempo, noto que já sou mais "sopas" do que "sim".
É a vida, são os dados... que vão ganhando mais peso e perdendo a folga de outros tempos.

Amor

Arde mas dá-te prazer
Maltrata-te mas deseja-lo
Expulsa-te mas não o esqueces
Sufoca-te mas não lhe resistes
Arrepia-te mas não o congelas
Amordaça-te mas não o calas
Desilude-te mas não o aniquilas
Nega-te mas assume-lo
Vicia-te mas não te libertas
Escolhe-te... e não tens opção.
Bendito seja!
terça-feira, 20 de maio de 2008

Falsos

Detesto pessoas falsas, sejam elas boas ou más pessoas. Falo em termos de postura e conduta enquanto ser humano na relação para com os outros, principalmente os mais próximos, seja em termos sociais ou falmiliares.
Prefiro aquelas pessoas com imensos mas verdadeiros defeitos em detrimento das outras que, ao fim e ao cabo, nem sabem quem ou o que são.
Logicamente que todos concordarão que não faltam pessoas falsas, mas poucos serão aqueles que se assumirão como tal - se calhar até eu me incluo nesse lote e não o admito, pois é mais fácil ver de fora do que do "lado de nós".
No entanto, e sejam quais forem as teses ou versões, continuo a não gostar de pessoas falsas; principalmente daquelas que dizem gostar ou não gostar disto ou daquilo e - vai-se a ver; fazem-no em triplicado. Pior, ainda têm o dom de colocar a "faca junto à garganta dos visados" como se nada tivessem a ver com o "sucedido".
Por outro lado, lá vão servindo para alimentar a "imprensa negra" dos "corredores" e, com as suas não menos falsas posturas, vão agitando o que, sem elas, provavelmente passaria despercebido.
Já não se contam pelos dedos as vezes em que me apeteceu...
Bem, é melhor deixar-me ficar pela opção contrária, mesmo sendo - também ela, completamente falsa.

?

- O que mais gostarias de ver no teu horizonte?

Ouço-me

Este é um daqueles objectos que posso considerar dos mais íntimos ao longo da minha existência, tal é a proximidade que temos e a parceria que estabelecemos. Já passaram por alguns dos mais marcantes momentos da minha vida...
Os auscultadores têm efectivamente mais poder do que se possa imaginar, são uma forma de nos auxiliar na concentração e uma espécie de barreira para o outro mundo, evitam muitas interferências, principalmente se forem usado com uns decibéis a mais, como é hábito na minha pessoa.
Trabalho com eles quase todos os dias há mais de 20 anos. São uma peça sem a qual não conseguiria pessoalizar ainda mais o que desempenho em termos profissionais. A voz é importante mas convém não esquecer que o seu resultado depende em grande parte do ouvido e da forma como algo nos é dado a ouvir, inclusive a nossa própria voz.
Há que não confundir auscultadores com "phones" de "walkman" ou acessórios similares, os auscultadores são algo que define o som - dependendo da qualidade, e que nos garante ouvir com os sentidos muito mais apurados.
E se há objecto a que muito devo e a quem devo prestar homenagem, este é um deles.

Vai indo...

Já o disse por diversas vezes que não sou dado aos livros, isto apesar de oferecer livros com frequência a alguém que os devora e que tem uma balança de exigência apurada. Por sorte ou por ler devidamente as apresentações, não costumo errar no que lhe ofereço.
Por outro lado, para alguém que como eu lê muito mas na base de jornais, torna-se - presumo, ainda mais difícil escrever algo que possa ter o nome de livro, mesmo tendo um especial prazer em escrever e brincar com as palavras, como comprova este Blogue.
Tudo isto para sublinhar que, como já devem ter reparado, tenho andado armado em escritor e publicado entre os mais variados Post capítulos de um pseudo-livro-virtual que, sublinhe-se, é escrito e pensado na hora em que é publicado. Ainda penso naquilo que poderei ou não acrescentar à história mas, no fundo, é na hora que carrego nas teclas que invento tudo o que - se tiverem pachorra, aqui podem ler.
Tem sido uma experiência interessante, cansativa mas interessante. Já escrevi uns bons milhares de caracteres e tentarei dar ainda mais corpo a uma história que, muito provavelmente, não tem pés nem cabeça ou é digna de ser comparada às páginas amarelas, embora com menos utilidade.
Para que saibam, cada capítulo, tem demorado cerca de 2 a 3 horas a escrever, sem parar e... a ver vamos se conseguirei aumentar o volume de páginas que justifiquem um dia destes chamar-lhe o primeiro ensaio para algo que se possa assemelhar a um livro.
Por último, quero agradecer aos responsáveis pelos constantes incentivos aqueles que pelos mais diversos meios continuam a dizer-me que tenho jeito, logo eu que - recordo, devo ter lido 2 ou 3 livros ao longo de 38 anos de viva.
Quem conseguir que se divirta, quanto mais não seja com o facto de eu ainda me estar a divertir com este "Romance Instantâneo" escrito ao sabor das horas de insónia propositada.
Bem, vou fazer aquilo que já devia ter feito, ou seja; xi-xi e cama.

Ideias e Ideais

Adoro ter ideias e ideais, e melhor mesmo só quando consigo juntar umas aos outros.
Não sei, até parece que os objectivos renascem, que ganham vida própria e que nós nos limitamos a ser uma espécie de "porta-bandeira" de algo novo ou renovado.
Penso que as ideias e ideais, principalmente naquelas alturas em que dão as mãos, são uma espécie de sal e açúcar que, mesmo em campos aparentemente antagónicos, conseguem dar energia ao andar que, no fundo, é o motor que alimenta a vida.
Por isso, mesmo não sendo especialista na matéria, quando me deparo com casos de pessoas que não encontram rumo nem remos, sugiro sempre que procurem ideias ou que arranjem ideais, pois desta forma poderão sempre perceber que estão cá para algo mais do que ver " a banda" passar.

Acerca de mim

A minha foto
Portugal
Sempre algures entre o hoje e o amanhã, sem esquecer a memória.

JACKPOT

JACKPOT
Música Anos 70, 80 e 90

Porto Canal

Porto Canal

O Livro do Ano

O Livro do Ano
Escrito por uma Deusa e um Sonhador... em nome de um Ângelo

...Sempre...

...Sempre...

Blog Archive