segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Terra Comprometida

Como todos, também eu gostaria de encontrar a desejada "terra prometida". Não aquela onde a Estátua da Liberdade acena com uma chama menor do que aquela em que, há umas décadas atrás, iluminava quem chegava, mas sim poder dar-me de corpo e mente à outra; à terra da escondida fraternidade.
Seria interessante, ou talvez enfadonho - não sei, seria interessante - dizia eu, encontrar-se uma terra onde todos se dessem bem, sem aqueles "desdéns" ou hipocrisias dos tempos modernos, sem as guerras de lodo dos bastidores maquilhados, sem linhas por onde nos possamos coser.
Provavelmente, essa terra existe, embora, imagino, quem lá viva deve fechar-se a "9 chaves", ao ver o que se vai passando nestas nossas outras terras. E como os compreendo! Também eu teria receio em nos aceitar, tamanha seria a poluição com que correríamos para lá. E não me refiro em exclusivo à poluição ambiental, é que andamos mais poluídos com outras poluições.
Por outro lado, se todos os todos que gostaríamos de encontrar a "terra prometida", um dia destes, assim como quem não quer a coisa, nos dedicássemos verdadeiramente a arar com verticalidade e a adubar com qualidades humanas o terreno que pisamos, estou em crer que, mais ano, menos ano, em vez de querermos viajar a todo o custo para a "tal" terra, estaríamos ainda mais felizes por termos sido nós a cultivá-la, sim, a nossa terra. E com a tal fraternidade, em jeito de adubo, claro.
Francisco Moreira

2 comentários:

Natacha disse...

De verdade que é assim que procuro agir, no dia a dia, cultivando o bem, seja de que forma for. Não, não sou nenhum E.T, sim, também me passo da cabeça em diversas circunstâncias.SIM, também magoo, firo (esta palavra não me soa bem, mas não fui eu quem inventou o verbo ferir ). também sou injusta eventualmente, mas sei, que o que me guia, e a estrela que me ilumina, mesmo quando anda mais escondida, é do bem.
Mas, verdade também seja dita, às vezes cansa remar contra a maré, porque estou em crer que, como se costuma dizer, ganha sempre mais quem escolhe caminhos diferentes deste que eu escolhi. Resta-me que, quando pouso a cabeça na almofada, estou de bem com a minha consciência. Até quando errei, porque sei assumi-lo e pedir desculpas se for o caso...


Xiii, amigo... que relambório (risos)

Um beijinho para ti

FM disse...

Olá, Querida!
Desta vez, quem anda mais "afastado", embora sempre presente, sou eu. Apesar de estar de "férias". (risos)
Estás bem, Natacha?
Espero e desejo que SIM, claro.
Beijos com Carinho.

Acerca de mim

A minha foto
Portugal
Sempre algures entre o hoje e o amanhã, sem esquecer a memória.

JACKPOT

JACKPOT
Música Anos 70, 80 e 90

Porto Canal

Porto Canal

O Livro do Ano

O Livro do Ano
Escrito por uma Deusa e um Sonhador... em nome de um Ângelo

...Sempre...

...Sempre...

Blog Archive