terça-feira, 5 de maio de 2009

"- És Boua!"

Foi um concerto simples com pouco mais de uma hora e um quarto de duração e um único encore. Terminou com a artista a solo a interpretar o "Aleluia" numa espécie de "adeus mediúnico".
Quanto a mim, tudo começou há uns meses no Blogue da "Olá" onde, por acidente, numa madrugada, não dei conta às repetições do vídeo que a "Superbock" criou e gravou no Porto usando "The Story" como banda sonora de uma espécie de fervilhar de emoções.
Há quem diga que a culpa, afinal, é da série Americana que nunca vi e que mal sei o nome... Será?! Bem, no meu caso, mais do que o vídeo da "Superbock" foi a versão acústica do mesmo "The Story" que se pode encontrar no "Youtube", nua, crua, fantástica.
Mas, voltando ao Coliseu do Porto, este concerto destacou-se, antes de mais, pelo magnífico som, sobriedade do palco e, logicamente, pela voz diferentemente interessante da rapariga com nome de "Croft" e de artista semi-famosa dos anos 80. Sim, Brandie Carlile tem a tal voz que, nos boatos, chegaram a dizer ter-se "rasgado" graças ao berrar contínuo do refrão, ainda por cima com voz rouca - afinal ela consegue, facilmente.
A primeira parte, cheia de temas que quase ninguém conhecia, soube a pouco mais do que "encher chouriços", principalmente para quem estava em pé. Mas, depois da versão de "Creap", dos Radiohead, tudo se alterou para melhor, e ainda bem. (Estive quase tentado a pedir a restituição do "valor" do convite!)
Voltando uma vez mais ao "fio da navalha", o concerto foi bastante aceitável, com alguns momentos de forte empenho e desempenho, principalmente graças às guitarras e à bateria. (houve 1 minuto de solo de guitarra brilhante, e sem ser do gémeo mas sim de um guitarrista convidado)
Quanto à canção que me levou a ver Brandie Carlile (à 3ª foi de vez!), ou seja o mais do que conhecido "The Story", senti que o efeito foi "afectado" pela falta da cerveja fresca numa mão e cigarro aceso na outra e, porventura, pelo tempo que entretanto distancia de Agosto do ano passado.
Estava à espera de mais, mesmo não sabendo do quê...! Mais, mais qualquer coisa!
Uma coisa é certa, a Brandie pode não ser "Croft" e ficar-se pela "Superbock" mas, como alguém gritou no meio do Coliseu naquela canção sem recurso a amplificação, "És boua!". Só foi pena que o concerto tivesse partes mais azedas, tal como a "Superbock" que serviram no bar.
Ah, e já agora, principalmente para quem gritou o " - És Boua!", convém referir que ela vira-se mais para outros "licores".

6 comentários:

Natacha disse...

Como já falamos anteriormente, eu gosto bastante da Brandi. Gosto especialmente desta música que falas, do Hiding my heart away, do Shadow on the wall e do Turpentine... entre outras.
Ah... e a série é a Anatomia de Grey (risos)
Quanto aos licores da sua preferência... não fazia ideia (risos muitos)

Beijos cantados

Nuno disse...

Conheço quase todas as músicas dela, o que tornaria esse concerto fantástico para mim.

Esta é uma descrição um pouco desanimadora. Transparece que está em dúvida ainda se foi bom ou não. Pois bem, pouco se pode fazer, quem vai para um concerto sem saber algumas (muitas) músicas do artista arrisca-se a não gostar.

Hoje quero eu ir ver. Coimbra, aqui vou eu!

FM disse...

(sorrisos)
É Natacha, percebes mais do assunto do que eu... (Mas eu sabia que era Anatomia de Grey, mesmo não vendo - risos)
Tenho pena que não tenhas ido... Ela vai voltar em Julho e Agosto.
Beijos.

FM disse...

Acertaste na "Mouche" Nuno, mesmo. É, a culpa é 100% minha... Mas, por outro lado, tinha que ver e ouvir ao vivo o "The Story", depois de ter estado a jantar na hora em que ela cantou no Sudoeste. (risos)
Abraço... Repara que ela vai dizer que os Portugueses são os únicosn no mundo que aplaudem quando ouvem uma piada... Vais lembrar-te. Bom Concerto.

Eudemim disse...

Pois...eu até podia comentar qualquer coisa, mas aqui que ninguém nos ouve...não conheço nada...nem as músicas...nem a “boua” da Brandi. É o que acontece quando se vive nesta bela selva.
Mas gosto desta sensação de “completamente a leste do paraíso” porque tudo fica com sabor a novidade.
Vou então pesquisar sobre esta “boua” !!

Bjs daqui desta selva

FM disse...

Vai lá ao youtube evê o The Story na versão Superbock... A cerveja até sabe melhor. (risos)
Beijos.

Acerca de mim

A minha foto
Portugal
Sempre algures entre o hoje e o amanhã, sem esquecer a memória.

JACKPOT

JACKPOT
Música Anos 70, 80 e 90

Porto Canal

Porto Canal

O Livro do Ano

O Livro do Ano
Escrito por uma Deusa e um Sonhador... em nome de um Ângelo

...Sempre...

...Sempre...

Blog Archive