quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Amargura

O nosso quadro pode sempre ser melhorado, pode sempre ser colorido, pode sempre mudar de parede... E é nas alturas em que julgamos que a paisagem que pior nos emoldura que devemos optar por vislumbrar novas filosofias, novas tonalidades, absorver novos sentidos e recriar o nosso próprio olhar...
Nenhum quadro é definitivamente cinzento nem eternamente colorido, nenhum quadro pode ser vendido ao desbarato sem dar a hipótese a licitações que imaginamos não existirem, nenhum quadro é desastrosamente mau ou indigno de restauração.
Todo e qualquer quadro tem uma estação do ano, uma rota e um sem número de perspectivas diferentes, algumas menos abonatórias, como não poderia deixar de ser, mas possíveis.
Mais do que pincelar no vazio ou sem sentido, há que procurar as cicatrizes e remendá-las com tintas mais resistentes... à amargura. A partir daí, a tela deixa de ser um obsoleto recanto de uma parede sombria para se transformar numa galeria de vontades.

2 comentários:

Juliana disse...

O quadro é como uma vida, tem as suas fases mais postivas, mais negativas mas no fundo tudo depende da nossa vontade de querer continuar em frente, de querer lutar até ao fim, de ter vontde de ver a luz e ai aproveita.la :)

Obrigada por fazeres parte da minha vida Padrinho*Bjinhos

FM disse...

Eu é que agradeço o teu carinho. És uma querida.
Beijos Grandes.

Acerca de mim

A minha foto
Portugal
Sempre algures entre o hoje e o amanhã, sem esquecer a memória.

JACKPOT

JACKPOT
Música Anos 70, 80 e 90

Porto Canal

Porto Canal

O Livro do Ano

O Livro do Ano
Escrito por uma Deusa e um Sonhador... em nome de um Ângelo

...Sempre...

...Sempre...

Blog Archive