terça-feira, 16 de dezembro de 2008

A overdose da Vida

Hoje, pela manhã, não consegui desviar o olhar de uma mãe, uma senhora mãe... Daquelas com idade de avó a quem os anos não conseguem roubar a necessidade de acontecer, de fazer o que tem que ser feito, de tomar conta do que a vida madrasta a incumbiu... Foi ali, à minha frente, com o meu filho a sonhar ao meu lado, que vi as mãos enrugadas a taparem as lágrimas que já não escorrem, mas continuam a tentar tapar a vergonha da "doença" dos dias de hoje, do "azar" que lhe bateu à porta, do calvário que mendiga a pior das mágoas...

O filho, com idade de pai mais do que crescido, insistia num pedido "viciado" enquanto não lhe largava o avental do dia-a-dia... E de olhos vidrados de quem há muito trocou a vergonha pela "dose", fazia com que todos tivéssemos vontade de olhar para o lado, como que a esconder o que se vê sem precisar de ver.

- Já não tomaste o que tinhas que tomar esta manhã? - Perguntou ela com um berro sem autoridade.

- Não. - Mentiu ele com voz de criança.

E a vida continuou normalmente, ali naquele centro de saúde onde se misturam as vacinas da vida com as vacinas da morte.

12 comentários:

Maurício disse...

Quantas dores de Mãe (e de Pai e de Amigo...) são sofridas devido a tal flagelo!..
E ninguém pode dizer "desta água não beberei".

Abraço Amigo

FM disse...

Infelizmente Maurício... Mas doi, inclusive ver.
Abraço.

paulofski disse...

A mãe dele já é a droga. Para o dependente de drogas tudo se rege pela dose, é uma "paixão" obsessiva, absoluta que toma conta do eu corpo e mente onde não existe mais nada para além disso. A droga é, ao mesmo tempo, pai, mãe, amante, esposa, a única companheira e o único objectivo.

Abraço

Natacha disse...

Deus nos livre...

Beijo

Xanda disse...

Infelizmente é a realidade em que vivemos.
Como mãe, é uma das coisas que mais temo, tentamos proteger os n/ filhos e desvia-los do pior mas nem smp conseguimos, percebo do que falas fm, tu também de certo receias como pai, e que sofrimento o dessa mãe…
Bjnhs

Mary disse...

É terrível :(
o episódio que contas até arrepia...pena ser tão comum e tão destruidor!
beijinhos querido

Jorge Cardoso disse...

Boa noite, amigos Francisco e Maurício... É a triste realidade da Vida de muitos e muitos seres... De pleno acordo com os meus dois amigos... Infelizmente também eu já convivi bem de perto com este problema em diversas zonas da nossa cidade e é duro, frustrante até sabermos que somos quase ou totalmente impotentes para o conseguir resolver... Façamos nós pelo menos em nossas casas o nosso trabalho... se bem que subscrevo o Maurício por inteiro na sua frase final...

Forte abraço para os dois... Fiquem bem
Jorge

FM disse...

É triste, muito triste Paulofski.
Abraço.

FM disse...

Podes crer Natacha.
Beijos.

FM disse...

Dá uma dor Xanda, mesmo só vendo e sem o viver... É triste.
Beijos.

FM disse...

Destruidor é o termo Mary.
Beijos.

FM disse...

É uma interessante linha de pensamento aquela que nos transmite Jorge... Façámo-lo.
Abraço.

Acerca de mim

A minha foto
Portugal
Sempre algures entre o hoje e o amanhã, sem esquecer a memória.

JACKPOT

JACKPOT
Música Anos 70, 80 e 90

Porto Canal

Porto Canal

O Livro do Ano

O Livro do Ano
Escrito por uma Deusa e um Sonhador... em nome de um Ângelo

...Sempre...

...Sempre...

Blog Archive