domingo, 23 de março de 2008

Pica

Por vezes sinto que o "hoje" com todos os seus facilitismos acabou por nos entregar a novas "doenças", as quais ainda não se curam com a vulgar Aspirina. Penso mesmo que há cada vez mais doenças e que a cura só encontra solução no recuo ao passado, aquela época que parece longínqua onde os telemóveis eram impensáveis - inclusive no "Espaço 1999", o comando da televisão era o indicador direito e a Internet mais se assemelhava a uma espécie de página 32 da revista Maria.
No dias que correm temos acesso a mil e uma maneiras de acontecer sem sair do lugar, e aqui é que reside o principal problema. A maior doença prende-se com o comodismo, aquele agir com um telefonema, uma palavra, um simples suspiro ou até um pensamento... Enfim, estamos a perder a vontade de fazer, de conquistar, de valorizar o percurso... E o principal problema neste problema é que a "injecção de razão" já é dada por enfermeiras virtuais, levando-nos a manter a nádega virada para o "lado" que estiver na moda.

4 comentários:

Olá!! disse...

Para mim FM, maior que o comodismo é o adiar... amanhã ainda vou a tempo... será???
Beijossssssssssss

FM disse...

É isso mesmo Olá, somos uns comodistas de meia-tigela... (risos)
E o amanhã é tantas vezes longe demais...
Beijos.

Waldorf disse...

Ei láaaa!!!!
Fico já por aqui, as curvas dessa enfermeira agradam-me e não é pouco!!!

Preciso de uma injecção!
Onde se tira a senha?!

Patrícia disse...

por favor tanta enfermeira aí à espera de empregooooo! daqui a dois anos eu serei uma delas lol
gostei da imagem...a nossa farda devia ser assim:D

Acerca de mim

A minha foto
Portugal
Sempre algures entre o hoje e o amanhã, sem esquecer a memória.

JACKPOT

JACKPOT
Música Anos 70, 80 e 90

Porto Canal

Porto Canal

O Livro do Ano

O Livro do Ano
Escrito por uma Deusa e um Sonhador... em nome de um Ângelo

...Sempre...

...Sempre...

Blog Archive