segunda-feira, 2 de agosto de 2010

- Parabéns, Dª Ilda.

A minha Mãe completaria hoje 80 anos de idade, de uma vida cheia de vida, cheia de tanto, dando tanto, sendo tanto.
Confesso que estou a tentar não me alongar, não ser incendiado pelas lágrimas da saudade, nesta falta gigante que me assola desde há um ano... Sim, foi há precisamente 1 ano que a levei para um piquenique com milhares de pessoas, no seu 79º Aniversário, sem saber que aquela tarde era o princípio do "fim". Para a minha rádio, em directo, Ela deu a receita para o meu (Embora Seu) prato favorito, o arroz de frango que ficou famoso nos meus programas de rádio, prometendo fazê-lo no dia seguinte, aquele que foi o dia da despedida, com Ela a sorrir-me com lágrimas de Adeus... 3 dias depois, como uma pena, branca, partiu, deixando-me aqui em pedaços, sempre com ela, claro, mas em pedaços, tão difíceis de reparar.
Ela, a melhor Mãe do mundo, está comigo todos os dias, nem que seja nesta fotografia que me cumprimenta religiosamente, incessantemente, efectivamente, nem que seja para me dizer que continua por cá, de outra forma, é certo.
Pela primeira das vezes, neste dia 2 de Agosto, a única data que nunca esqueci, não vou comprar-lhe as prendas que Ela "nunca queria" mas que apreciava, conferindo-lhe um valor imenso. Mais, hoje, lá para a hora do almoço, sei lá como, não vou poder levá-la a almoçar comigo num qualquer restaurante à beira mar, como nos impus.
Sim, já chorei muito nas últimas horas, e nem o cansaço de um dia longo, provavelmente e propositadamente longo, me deixa encaminhar o corpo para o leito, tudo por causa da mente, da saudade, da dor a que chamam ausência...
Estou para aqui, nesta madrugada sem horas, a escrever no fio da navalha, sem ler, sem reler, sem saber o que escrever, pura e simplesmente porque, no mínimo, que é tanto, mas tanto, tenho saudades de tudo, sim, de tudo o que você foi e é para mim, Mãe.



Francisco Moreira

6 comentários:

Não Sou... disse...

Um enorme abraço...

JoeMar disse...

Mais palavras para quê?
Um forte abraço...

Maurício disse...

Um dia tive que fazer um poema. A familia "exigiu".
E, no meio de lágrimas, saiu isto:

"Foste linda esposa e Mãe
Mulher de grande bondade
Resta a certeza do Céu
Para abrandar a saudade"

Ainda e sempre presente no coração e... numa lápide, algures no cemitério de Aldoar.

Um forte abraço

Natacha disse...

Ensinaram-me que apenas devia falar quando as minhas palavras fossem mais importantes que o meu silêncio.

Reduzo-me ao respeitoso silêncio neste momento.

Beijo grande!

liamaral disse...

...
Beijinho a Ti e a Ela!

paulofski disse...

Uma simples palavra de amizade e um forte abraço eu te deixo.

Acerca de mim

A minha foto
Portugal
Sempre algures entre o hoje e o amanhã, sem esquecer a memória.

JACKPOT

JACKPOT
Música Anos 70, 80 e 90

Porto Canal

Porto Canal

O Livro do Ano

O Livro do Ano
Escrito por uma Deusa e um Sonhador... em nome de um Ângelo

...Sempre...

...Sempre...

Blog Archive