terça-feira, 11 de maio de 2010

O Papa da Desconfiança

Não me permito passar ao lado da visita de Bento XVI a Portugal, principalmente numa altura em que a Igreja Católica sofre tantos ataques, numa altura em que a Igreja Católica "sangra" pelos pecados internos que, embora a conta-gotas, vão sendo noticiados em todos os cantos do mundo.
Contudo, e virando-me exclusivamente para o Papa, enquanto pessoa representante máxima da Igreja Católica, há uma pergunta que me assola, a mim e a milhões de pessoas: porque é que tanta gente não gosta deste Papa, reportando-me, por exemplo, à comparação com o seu antecessor?
Será pela sua expressão facial? Será pelo magnetismo que não provoca? Será por muitos acharem que foi "escolhido" por ter uma forte influência política dentro do Vaticano? Será por gerar, vá-se lá saber porquê, desconfiança?
Não quero ser considerado insultuoso, principalmente por não ter bases para poder comentar o que aqui comento, mas o meu "feelling" vai para o aglomerado de tudo o que acabei de questionar.
Bento XVI não inspira confiança, mesmo com o seu ar já "doente", mesmo com o seu discurso meticulosamente direccionado em jeito de "aspirina", tentando amortecer as inúmeras dores de cabeça que marcam os dias da Igreja Católica, tentando a todo o custo sobreviver à avalancha de criticas, muitas delas comprovadas, inclusive pelo próprio, e não me refiro exclusivamente à Pedofilia.
João Paulo II, por outro lado, mesmo junto dos menos crentes, conseguia facilmente aquilo que Bento XVI não consegue, ou seja, conquistar a confiança de todos, ou quase todos. Este Papa parece ter a "batina presa", principalmente pelo passado, enquanto Padre, enquanto Bispo, enquanto Cardeal.
Será que estou a ser incorrecto? Talvez sim, talvez não. Mas uma coisa é certa: comparando João Paulo II com Bento XVI, e limitando-me ao sumo que a "vox pop" vai debitando, de cada vez que se fala neste Papa, ele não convence, mesmo quando diz, como o fez no avião que o transportou para Portugal, há poucas horas, que os "inimigos da Igreja estão dentro da própria Igreja", razão pela qual, de cada vez que vemos um "Anjos e Demónios", ficamos com a ideia de que aquela ficção cinematográfica pode "encarcerar" muitas das hipotéticas verdades que nos fazem olhar com cada vez mais desconfiança.
Confesso que gostaria de gostar deste e de todos os Papas, principalmente por conhecer tanta gente que tenta ser um bom "rebanho" mas, até prova em contrário, fico triste por ver tantos "seguidores" a erguerem uma bandeira corroída pelos maus exemplos que mereciam arder na fogueira da inquisição, aquela que matou tanto bem em nome de um pretenso mal, em prol de uma religião que esconde tantos segredos, muitos dos quais silenciados com as esmolas dos pecados dos outros, aqueles que confiam cegamente, mesmo quando o seu "líder" passa os dias a falar das nódoas que o véu vai revelando.
Francisco Moreira

20 comentários:

Não Sou... disse...

Apenas um comentário... 76 milhões de euros...

FM disse...

Pois!
Abraço.

Rui Rebelo disse...

a propósito:
http://www.youtube.com/watch?v=D1aumtHdZYw

bisturi disse...

Caro amigo :
Tocas um assunto sério e digno de respeito...
Coisa que depois não se vê nalguns comentadores mais "fast coment" e despidos de alguma honestidade intelectual...
Compreendo as tuas inquietações...
Papas diferentes??
Sim ...pois os tempos também o são!
Já pensaste como foi possível a eleição de um homem como João Paulo II e por uma tão "sinistra", "gastadora", "ostentatória", "miserável" organização como alguns apelidam à Igreja?!!!!
As acções da Igreja não se coadunam com os ritmos mediáticos...
Convido os críticos a lerem as encíclicas deste papa e digam-me o nome de um só político ou VIP deste mundo capaz de levantar tamanhas questões...
Era bom que não nos ficássemos pela superficialidade das coisas... e houvesse mais respeito pelas crenças e fé dos outros...

liamaral disse...

Se se gasta tanto dinheiro com um Euro 2004 ou noutras coisas,não se pode condenar que se gaste com a vinda do mais alto representante da Igreja Católica, que continua a ser aquela que mais seguidores tem em Portugal! Não estou a dizer que é correcto, estou só a comparar...
:) Beijinho

FM disse...

Fica registado, Rui.
Abraço.

FM disse...

Caro Bisturi, obviamente que, quando escrevi o que escrevi, também pensei naqueles que (e friso-o!) merecem o respeito, tal como a Igreja, pelo menos para mim, ainda merece, apesar das inúmeras nódoas (bem negras) que têm dado à costa.
Não ponho em causa absolutamente nada do que dizes, nem tão pouco me atrevo a combater as encíclias deste Papa, as quais desconheço, confesso. Mas, numa altura como esta e no passado recente, convenhamos, precisavamos de um Papa que não se "limitasse" a pedir perdão e a indemnizar os (conhecidos) ofendidos com as esmolas que caem em Fátima e noutros locais do mundo, precisavamos (ou melhor, precisa a Igreja Católica!) de um Papa que agisse na rua, que despisse a Igreja dos luxos, que revelasse os "podres" que a fazem aprodrecer e os fizesse pagar, aos culpados, em tempo útil, convenhamos.
Verifico que a Igreja está a desmorenar-se, com os templos cada vez mais vazios, com cada vez mais "incumpridores" daquilo que, imagino, deveria ser uma doutrina. Porque é que em Portugal, país Católico, só 1 milhão de pessoas vai à missa? Onde param os outros 9 milhões?
Porquê gastar 75 milhões em 4 dias? (sabes quantas vacinas poderiam ser fornecidas a Àfrica?)
Porquê ser contra o preservativo quando ele pode salvar milhões? (e, já agora, evitar que tantas crianças nascessem sem ser desejadas)
Porquê impedir as relações no clero, quando elas existem? (Quantos padres têm filhos em Portugal?! Quantos?!)
Porquê viver em tanto luxo, quando se deveria dar o exemplo? (E não me refiro apenas às sandálias "Dolce&Gabanna". Posso referir-me ao "ouro" espalhado pelo novo altar de Fátima.)
Porquê aceitar que quem é pedófilo se limite a pedir a "demissão", quando é descoberto, claro? (Só se houve falar de casos revelados pelo exterior. Achas mesmo que a Igreja não os conhece? Será que não recebem cartas anónimas?)
Claro que nas questões da gravidez e da homossexualidade, concordando ou não, aceita-se que a Igreja tenha a sua própria opinião, mas e no que referi atrás? É apenas uma questão de opinião?
Este Papa, pelo menos pelo que leio, tem tido a necessidade de recorrer a uma equipa de marketing mais eficaz, já que a globalização fez com que muito do que se constava passasse a "correr mundo". Houve a necessidade de escolher melhor as palavras, de fazer passar frases-chave com mais força, de tentar estancar o "sangue" que jorra, infelizmente, inclusive para os não católicos ou não praticantes, como é o meu caso.
Não, não confio neste Papa, não sei bem porquê, escrevio-o, mas não confio. (Ele me perdoe, o meu pecado - este - é bem menor do que o que muitos padres, bispos e cardeiais) É-me permitido desconfiar, certo?!
(e nem todos podemos ser do Benfica, já que a religião, mesmo com tanta gente a aceitar fechar os olhos, não se joga ao domingo, mas sim todos os dias)
Agora, mais a sério, Bisturi, e porque aprecio o teu pensamento, embora não concordando com tudo o que dizes ou pensas, porque assim é que deve ser, devemos saber apreciar-nos nas semelhanças e nas diferenças, dizia, compreendo perfeitamente que defentas a tua Igreja, eu faria o mesmo, acredita, e com unhas e dentes, mais, com bases, com escritos, com provas. Mas, aceita lá, aquilo que o Papa disse hoje no avião: "Os inimigos da Igreja estão dentro da própria Igreja", ao que acrescento o seguinte: "E enquando a Igreja Católica não se despir completamente dessas nódoas, sendo a própria a agir por vontade própria, ou muito me engano, ou caminha para o precipício".
Deixo-te um exemplo (parvo!) cheio de incongruências, em jeito de pergunta:
- Sabes quantos milhares de pessoas vão a Fátima e oram sem acreditar na Igreja?
Cá para mim, que nunca fui bom a matemática, uma parte significativa, e em crescendo. E porque será?
Abraço, e regista que mesmo discordando de grande parte da tua Igreja, repeito-a, e ti, claro.

FM disse...

Pois, mas ao menos os estádios servem para outros dias... de "jogo", Liamaral, embora tenham sido um exagero.
Eu sei que uma grande parte dos 75 milhões são um investimento publicitário do país (as televisões estão cá e geram receitas falando de Portugal), mas... é um exagero, principalmente quando já nem para as esmolas há dinheiro, ou melhor, pelos vistos há, nem que seja dos nossos impostos.
Os altares estão lindos, confesso, mas vão servir-me para quê? Ao menos no futebol divirto-me com outras "emoções", mais prazerosas e menos "suspeitas", apesar de também o serem. (sorrisos amarelos)
A igreja deveria seguir o exemplo da Nossa Senhora de Fátima e de Jesus, usando como altares as sombras das árvores e não as cadeiras de "200 mil euros" que, tal como os estádios, têm que ser várias, dependendo da localidade onde se "joga". (piada parva mas com algum sentido)
Beijos, Liamaral.

bisturi disse...

Caro amigo :
Sabes...já era o tempo em que se dizia : " o papa falou ...a discussão acabou!"
Hoje , e bem, tudo se discute e questiona com maior ou menor acertividade e competência- vemos serem propaladas baboseiras e tremendas obscenidades.
Pena que não tenhas lido as enciclicas deste papa. acredito que te faziam bem ( digo do fundo do coração e sem segundas intenções)...
Pena que só vejas nódoas na batina papal como se fosse ele o culpado dos pecados enormes de homens da sua e nossa Igreja.
Pena que esqueças que numa vasta imensidão deste mundo em que vivemos , a ÙNICA esperança e âncora sejam os homens abnegados desta Igreja que se dão e entregam ao próximo até com o risco da sua própria vida...
Pena que confundas Fátima com doutrina e vivência de fé...pois já aqui escrevi ( e não sou só eu que defendo) que pode-se ser cristão e não acreditar em Fátima como dogma de fé que não é...
Fátima é mais um local de culto mariano como existem muitos outros por esse mundo, apenas serve para muitos crentes fazerem uma paragem nas suas vidas e conviverem com os seus semelhantes...
Pena que fales em de Fátima esbanjadas para colmatar males horrendos...serão mesmo de Fátima ...tenho dúvidas porque as mesmas esmolas são geridas por entidades nacionais e pouco chegará ao Vaticano!!!!
Pena que aches que o valor estimados dos gastos desta viagem resolveriam os males do mundo subdesenvolvido...não acredito que acredites nesta falácia irresponsável e demagógica.
Pena que aches que os templos estão vazios como sinal de uma derrocada eminente...As causas são muito mais vastas e se calhar hoje não será tanto assim... Hoje vive-se e trabalha-se longe do seu meio natural e com solicitações múltiplas e mais apelativas, distanciadas da prática religiosa...
Pena que aches que o papa seja contra o preservativo como se ele fosse um produto de saúde sem outras nuances, como acto criminoso lançando milhões na morte. Não será antes por uma outra razão, dado que apregoar o uso do preservativo como panaceia para as doenças do século(s) sem o devido enquadramento não será defender o acto "Klenex", a desresponsabilização do acto amoroso...o facilitismo...o usar e deitar fora nas relações pessoais, etc.
O fim do celibato...sim ! Aqui está um tema premente e com futuros desenvolvimentos, e em certas circunstâncias...
Pena que alinhes no clamor mediático que apenas vê e tenta colar a dúvida e o estigma da pedofilia( o último crime sexual do século)aos padres e igreja....

Mas ainda bem que temos ideias diferentes mas somos respeitadores assumidos

FM disse...

Gostei especialmente da tua última frase, a sério, Bisturi.
Obviamente que não tenho argumentos nem o teu vocabulário para "combater" a tua "defesa", ou a defesa da Igreja Católica, nem o pretendo, nem por sombras. O que leio e vejo, pelo menos aos meus olhos, já são exemplos suficientes para ser "descrente" nesta Igreja (não falo das outras porque pouco delas conheço e o que vejo não me parece fascinante).
Em resumo, porque sei que me permites, caso contrário não perderias o teu tempo a responder-me, e vice-versa (risos), obviamente que uma grande parte do que disse, nos comentários, carece de informações palpáveis, tanto mais que não tenho acesso - nem tu, presumo, à contabilidade do Vaticano ou de Fátima, e são apenas perguntas para as quais eu e milhões de pessoas não encontram respostas, ou melhor, o "Klenex" não me "consola" como desculpa.
São vários os pontos com os quais não concordo, são várias as "nódoas" que não vejo corrigidas. Ou será que dizer "Perdão" resolve os problemas?! O que faria, eu?
Excumungaria todos os "pecadores" de minha casa, sem apelo nem agravo. Que fossem eles a pagar as indemnizações, vindas de Fátima, dos investimentos financeiros do Vaticano na Bolsa, das heranças, etc. Quem errou e sujou o nome da Igreja deve pagar, e não ir para a reforma, em paz, embora não de espírito.
Gostaria de acreditar que a Igreja Católica, como tão apaixonadamente a apresentas, fosse a salvação dos homens, mas, lamento, com tantos exemplos, só me apetece ironizar dizendo que serão os "homens a salvar os padres", exagerando, obviamente, e à luz, não só da Pedofilia, mas de outros "excessos" sexuais.
Perdoa, Bisturi, se calhar digo-o por ser Pai recente, mas o que farias a um Bispo que violasse um filho teu? Limitavas-te a assinar a sua carta de demissão? Estou certo que não, mesmo que fosse o padre da tua paróquia, mesmo que fosse o Papa.
Perdoá-lo, Senhor?! Achas mesmo que Deus perdoará a estes "protegidos"?! Jamais!
Sinceramente, eu e milhões de pessoas, porventura todas erradas, acho que este Papa tem "o rabo preso", como uma gigante parte da Igreja, porque, como imaginas, (!) este assunto da pedofilia não é um pequeno pormenor. Não é um caso isolado.
Como num "clube", e para manter os "adeptos" a pagar quotas, é importante esconder, facilitar, ter que "aceitar", e isso prende-nos o "rabo", porque... Pois, podemos ter errado ao "esconder".
Obviamente que os 75 milhões não acabariam com os problemas em África, mas seriam uma boa ajuda onde, hoje, morreram não sei quantos. Não sei, sem a "cadeira dos 200 mil euros", provavelmente, alguns milhares ainda teriam o que comer à hora da missa... Perdoa a ironia mas, como na política, nã podemos dizer que este governos é um despesista e esquecer que o "Papa" gastou uma grande fortuna em 4 dias. Eu sei, para alimentar a Fé, inclusive dos Portugueses.
Não me convences com a queda da "popularidade" da Igreja, nos templos, e fora deles.
Quem quer estar na Igreja não fica em casa a ver a "SIC Radical", mais ainda quando tem carro.
Das várias nuances do preservativo, aquela que mais me interessa no momento prende-se com os Países Africanos onde sobrevive 90% da Sida no mundo. Será que uns actos (pouco) amorosos (normais!) de meio planeta não justificam que se salve a outra metade? Tu, enquanto médico, deves saber muito melhor do que eu.
Mais, se os próprios padres dessem amais uso aos preservativos, não existiriama tantos filhos de pais "incógnitos", com ADN das dioceses. (Pelo menos há alguns que respeitam e abandonam a batina a tempo! - O que seria desnecessários se a Igreja entendesse que não há "cintos de castidade intelectual")

FM disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
FM disse...

(continuação, já que fui obrigado pelo Blogger a fazê-lo)

Mas, vamos ao que mais interessa:
- Sim, há gente boa, e muita, na Igreja.
- Sim, a Igreja ajuda muita gente.
- Sim, a Igreja tem um papel fundamental na nossa sociedade, inclusive em termos de valores sociais e morais.
Mas, por outro lado, deixa-se "governar" por pessoas que usam a "farda" para magoar, abusar, mentir e... fugir, valendo-se da instituição.
Por outro lado também, a Igreja tem que perceber que não está no tempo da Inquisição e que já não tem o poder de dizer ao "Rei" o que fazer para não ir para o Inferno. É que, nos dias que correm, voltando a ironizar, o inferno, aparentemente, está dentro da Igreja, e espero eu que ela o consiga expulsar, sem apelo nem agravo, ou melhor, sem o recurso exclusivo a "palavras e dólares".
Bem, vamos lá dar por concluído este assunto, é que já estou a exagerar.
Tu acreditas na Igreja, eu desconfio dela, ou melhor, de parte dela.
Amigos como dantes.
E fica com Deus, porque Esse, diga o que disser a Igreja Católica, (não o diz, eu sei!) é de quem Nele acredita, e eu acredito, ou melhor, confio Nele.
Abraço, Bisturi.
(tens um excelente poder de argumentação, mesmo.)

Maurício disse...

Olá Francisco,

Como sempre, passei por aqui.
E hoje, confesso, não gostei do que li.
Não que não tenha toda a razão em muitas das coisas que aponta. É obvio que os padres pedófilos devem ser condenados. Pela Igreja, a quem traíram de uma forma ignóbil, mas não só: também pela justiça dos homens, como criminosos públicos, que são.
Claro que fico indignado quando os católicos, como eu, lutam contra o aborto, o casamento gay, etc., e depois sabe-se que uns quantos energúmenos cometem este crime horrendo.
Isso é uma coisa. Outra, completamente diferente, é confundir a parte com o todo. Outra é culpar este papa por toda a situação. Desculpe, mas só mesmo alguém que fala sem conhecimento é capaz de dizer tudo o que diz. Alguém que fala só pelo que ouve e lê de "um dos lados". É preciso conhecer o "outro lado"! Sugiro-lhe que experimente ler uma encíclica deste papa (posso emprestar-lhe se quiser). E perceberá que alguns não gostam dele porque não vai em facilitismos, mas aponta caminhos exigentes. E verá que nenhum outro, nem mesmo João Paulo II, apontou tanto para a clareza, a transparência e a purificação da Igreja e dos cristãos como Bento XVI.
Isto para não falar dos tantos e tantas que, todos os dias, dão a sua vida (quantas vezes no sentido mais literal do termo) na entrega pelo Outro. Em África e em todos os cantos do mundo.
Será que todos esses (também são milhões e o número está a crescer) são todos uma cambada de "carneiros" que, como diz, confiam cegamente?

Eu, como o papa, este papa, acredito que a Igreja vai ser mais clara, mais transparente e mais pura.
E não, a Igreja nunca acabará. Porque, por muito que alguns a queiram destruir (mesmo por dentro) ela á constituída por homens, mas não é dos homens...

Desculpe todo este relambório.
Sabe que gosto muito de si, que o admiro e respeito muito. Do coração.
Mas hoje não resisti.
É que só não se sente...

Abraço Amigo

Hélder Ferrão disse...

Muito do que queria dizer sobre este tema, já aqui foi escrito por ti, Francisco. Mas, se me permites, aproveito também para dizer o seguinte, mesmo correndo o risco de repetir algo que já foi dito.
É preciso que se entenda que todas estas questões de pedófilia, de excessos de gastos com viajens e "decoração" de igrejas, não sejam encaradas pelos católicos como ataques pessoais á sua Igreja e á sua doutrina, como muitos católicos pretendem fazer crer aos olhos do mundo. Os factos são o que são, e, por muito que muitos tentem, não podem ser escondidos por debaixo da sotaina ou "varridos" para trás do altar. Um pedofilo é um criminoso, e por isso, logicamente, deve ser tratado como tal; Deveria sofrer as consequências pelos seus actos perante a lei como qualquer um do comum dos mortais, certo?. Perante este simples facto, a pergunta "parva" que faço, e que muitos parecem nem sequer compreender, é muito simples: Porque deverão os padres ser tratados de forma diferente, de forma mais leve? Não deveriam eles, esses doentes, "arder na fogueira" juntamente com os demais do seu "sangue"? Em que é que diferem os intulados "homens de Deus" e os outros, os que não usam Cruzes ao peito? Isto são questões tão simples, tão óbvias, que chegam até a ser primárias, e, as respostas a elas, essas são ainda mais fáceis de chegar, pois são tão claras e, não fosse a "máscara" da fé a tapar os olhos de muitos, tudo lhes faria mais sentido... (Ok, é melhor nem ir por aí, porque para mim isto é quase ridiculo..)E sim Francisco, também sou da opinião, ingénua para muitos, que se uma vida apenas pudesse ser salva por esses 75 milhões, eles não poderiam ter sido melhor empregues; e este simples facto, que nada tem de demagógico ou irresponsável, na minha opinião deveria nos "esmagar" na sua simplicidade de concretização. O voto de pobreza da Igreja parece ter sido esquecido, isto, claro, se alguma vez foi lembrado...
Para terminar, quero também dizer que respeito muito a crença de cada um, mas acredito também que a fé, independentemente da religião em que se inspira, não deveria ser tão iluminada ao ponto de nos cegar...
Abraço, (e desculpa se "estiquei" um pouco a corda. Estes temas, como sabes, mexem um pouco comigo)

Ricardo disse...

Caro FM,
Não estou com muito tempo para comentários a este tema, talvez mais tarde o faça.
Vim só deixar-te uma provocação (sei que não me levas a mal)
Pegando um pouco no teu raciocício: Milhares de portugueses (como eu) tem a sensação que o Paulo Pedroso tem o "rabo preso", e no entanto o PS voltou a ganhar as eleições.
Não tomes a parte pelo todo, porque não é pelo facto de haver ovelhas negras, que o rebanho não presta.
Abraço.

FM disse...

Olá Maurício!
Quando raramente trago o assunto religião para estas bandas, confesso, penso em si e no Bisturi, pessoas que "se sentem", e que aprecio, ao ponto de tentar conter-me no que o teclado "exige" que escreva. Ambos me merecem respeito. De ambos sei que amam a Igreja.
A si, que conheço um pouco melhor, e de quem gosto especialmente, pela luz que emana (bem maior do que a do Papa), confesso que evito tocar neste assunto, apesar dele estar constantemente na ordem do dia, e tantas vezes pelas piores razões.
Como certamente leu nos meus comentários, Maurício, referi que não falta gente boa na Igreja Católica, nem exemplos que devem ser sublinhados pela sua grandeza. Mas isso, e aqui é que está o grande pormenor, não deve ser usado como "amortecedor" para as nódoas que todos os dias são notícia, principalmente quando a Igreja tenta esconder os pecados internos e não os lança directamente para a fogueira, como deveria fazer, sempre.
O Papa, este Papa, não me convence, principalmente com o olhar. E, pelos vistos, não convence tanta gente como João Paulo II. Porque será? (Ok, o homem, porque ele também é homem, provavelmente, não tem culpa da cara que tem. Mas será só isso?!)
Quanto às encíclicas, mesmo respeitando-as, e sem as conhecer, acredito, não me convencerão enquanto não tratarem "olho por olho, dente por dente" todos aqueles que, esses sim, desrespeitam grandemente e quase impunemente a Igreja.
Não fui eu quem prometeu ser fiel a Deus e ao Homem. Não sou eu que me arvoro com o direito de penitenciar os pecadores, escondendo os meus pecados debaixo do tapete, enquanto o conseguir.
Não sou eu que uso a Fé como exemplo.
Não sou eu que transporto um sem número de ideais e regras, sem as cumprir.
Infelizmente, amigo Maurício, enquanto a Igreja Católica não "dizimar" os "Diabos" que tem dentro de casa, por muito que escreva e por muito que o diga querer fazer, não conseguirá levar "a palavra" aos outros, àqueles que, como eu, desconfiam, e muito.
Como já referi, acredito em Deus, seja Ele Católico, Hindu, Protestante, apesar de achar que Ele não se "amarra" tão facilmente às "marcas" que o "promovem".
Certamente que a Igreja Católica tem excelentes exemplos do tanto bem que faz. Certamente que a Igreja está replecta de gente boa.
(talvez não saiba, tenho um sobrinho que seguiu os passos da Igreja, e lá continua)
Contudo, isso, que, repito, é muito, não consegue demover-me de criticar a opolência, o crime e o atraso que anda de "mãos dadas" (embora às avessas) com a Igreja. E se toco no Papa, isso deve-se principalmente ao facto de ele ser o representante máximo da Igreja, de ele ser o rosto, a palavra e os gestos da entidade em questão, uma entidade que inspira milhões, e não me estou a referir aos dolares, mas sim às pessoas.
Gostava de acreditar que a Igreja será a salvação do Homem mas, infelizmente, parece-me que terão que fazer mais do que encíclicas para o conseguir.
(Terei todo o prazer em ler as encíclicas, por si e por tantos como você, principalmente para tentar entender o vosso amor à Igreja.)
Por último, e porque estes assuntos, de tão pesados que são, podem "estragar" relações de amizade, agradeço que registe que o mais importante, para mim, reforço, é o respeito que existe, mesmo na discordância. É que mais do que as entidades, para mim, o que vale são as pessoas.
Respeito-o, e muito, aprecio-o, e muito. Respeito a Igreja, e muito, aprecio-a cada vez menos.

Abraço.

FM disse...

Que posso eu acrescentar ao que escreveste, Hélder?!
Que concordo.
(talvez por isso fiques com direito a uma resposta com menos, muito menos palavras - sorrisos)
Abraço.

FM disse...

Claro, Ricardo!
Mas, que eu saiba, o programa do governo não promete a salvação do homem, enquanto exemplo para todos os "votantes".
Este problema da Igreja prende-se com a forma como ela "governa" as suas ovelhas negras, transferindo-as de "poiso" consoante as "necessidades". Ou esqueces os exemplos que chegaram dos Estados Unidos e de outros cantos do mundo em que o Clero, perante as provas de pedofilia, limitou-se a mudar os seus "dignos" representantes de paróquia?!
O Paulo Pedroso foi detido. Os padres limitam-se a ser interrogados (às escondidas).
Os pedófilos, mesmo safando-se, infelizmente, vão ao julgamento dos homens. Os padres mudam, quando mudam, de paróquia.
Infelizmente, a Pedofilia é uma terrível nódoa com que a Igreja terá que suportar enquanto não se livrar completamente desses "ministros".
Se é difícil, quase impossível?! Claro que é.
Não podemos confundir a parte com o todo. Mas enquanto o todo não excomungar a parte... há que sofrer as consequências, sob a forma de desconfiança.
Repara no seguinte.
Com todos estes casos que têm vido a lume quase diariamente, mesmo com a máquina da Igreja a tentar controlar os danos, TU, diz-me, confias cegamente nos Padres, ao ponto de permitires que o teu filho vá à Igreja, sem ti?
Nunca te passou pela cabeça ele, o teu filho, poder vir a fazer parte das estatísticas?! Confias cegamente?!
Pois, mas, à priori, tratando-se da Igreja (santa), deverias dormir descansado e nem sequer equacionar o assunto, por muito que se trate de uma simples hipótese.
Ou seja, o "todo" precisa urgentemente de eliminar as "partes", já que a Igreja não vive de maiorias relativas ou absolutas.
E, cá para mim, não é de separar o celibato dessas "tendências"... Apesar de que isso daria também pano para mangas, ou melhor, para btinas. (sorrisos)

Abraço.

Ricardo disse...

Raras são as pessoas em quem confio cegamente... e não está lá nenhum padre.
Não deixo de ser católico por isso.

FM disse...

Ainda bem, Ricardo.
E deves seguir aquilo em que acreditas, sempre.
Abraço.

Acerca de mim

A minha foto
Portugal
Sempre algures entre o hoje e o amanhã, sem esquecer a memória.

JACKPOT

JACKPOT
Música Anos 70, 80 e 90

Porto Canal

Porto Canal

O Livro do Ano

O Livro do Ano
Escrito por uma Deusa e um Sonhador... em nome de um Ângelo

...Sempre...

...Sempre...

Blog Archive