sexta-feira, 26 de junho de 2009

"Dirty Genious"

Muito Provavelmente, muitos serão os que farão de Michael Jackson um "Dirty Jackson", tantas foram as bizarrices com que se vestiu ao longo dos seus 40 anos de carreira, 50 anos de pessoa, aquela que, convenhamos, não teve tempo para viver ao seu tempo, ao tempo dos homens, e não ao tempo dos Icones.
Sou um fã confesso do artista Michael Jackson, ao ponto de "Thriller" ter sido o primeiro álbum que adquiri, aquele que ouvi de "fio a pavio" vezes sem conta, aquele álbum que, há pouco mais de 1 ano me ofereceram em CD numa edição comemorativa... Aquele álbum que serviu para me (nos!) acompanhar como espécie de banda sonora de uma adolescência ávida de exemplos, de super-homens, de Michael Jacksons...
Hoje, depois de hora e meia em frente à CNN, Sky News, BBC e SIC... Vou deitar-me mais triste e, simultaneamente, mais feliz. Porquê? Triste porque Michael Jackson, se tivesse tido um pouco mais de equilíbrio mental, ter-nos-ia oferecido ainda mais mensagens excelentemente conseguidas, mais melodias estrategicamente envolventes. Deito-me mais feliz porque, desta feita, com este fim precipitado, "acabaram" as notícias sobre o mau homem que, aparentemente, era quando não vestia o seu fato de artista simplesmente brilhante.
"Dirty Diana" não é dos seus temas mais conhecidos, mas foi dos que mais ouvi vezes sem conta (ainda recentemente), muito graças também aos acordes e desacordes emprestados pela guitarra de Slash, o mesmo dos bons tempos dos Guns'n'Roses.
"Dirty Diana" é o tema que lhe dedico, a ele, ao homem, ao "Dirty Jackson" que, permitam a ousadia, foi dos mais cintilantes artistas que o mundo conheceu, o mesmo que não conseguiu controlar a "prostituição hollywoodesca" que, infelizmente, há já muitos anos o matou lentamente numa capa de agonia, o pobre do "Dirty Genious", aquele excêntrico que fez mais pelo mundo do que todos aqueles que o sugaram sem nunca permitirem que ressuscitasse, ao menos como homem.

(Há um outro Ícone da música que considero superior a Michael Jackson, chama-se Elvis Presley)

6 comentários:

Ricardo disse...

Também sou fã.
Lembro-me bem do teledisco do Thriller. Ainda me lembro de não ser aconselhável a menores. Lembro-me também de ter ganho o prémio MTV para a melhor canção no longínquo ano de 84 (salvo erro). Na altura concorreu directamente com o "Every Breath you take" dos Police.
Dirty Diana era uma das canções integrantes do álbum "Bad", um daqueles que uma vez emprestei sem "V de Volta".
Morreu um icone da música mundial, controverso e extravagante como outros tantos. O mundo da música ficou hoje mais pobre.
RIP Michael.

FM disse...

Que pena Ricardo, que pena... Mas, se calhar, ainda bem.
RIP Michael
Abraço.

Natacha disse...

E além do Elvis, gostaria de referenciar também Freddie Mercury!!

Não era fã do Michael Jackson pós anos 80... mas concordo... é já uma Lenda...

Beijos

Não Sou... disse...

Não sou nem nunca fui um fã do Michael Jackson. Mas reconheço que era um artista completo. Os exageros que teve e os erros que cometeu devem ter reflectido na sua morte repentina.
No entanto não deixa de ser curioso que até há bem pouco tempo era chamado por muitos que agora o elegem como lenda e icon de pedófilo entre outros nomes.
Quanto a mim, apesar de não ser um fã, o meu respeito ao artista, mas não tenho tanta pena do homem.
Abraço

FM disse...

Fazes bem em referenciar o Freddie Natacha mas, na minha opinião, não chegou à linha de Elvis ou Michael Jackson... Os Reis.
Isto, logicamente que não quer dizer que Freddie Mercury não tenha sido um dos maiore artistas musicais de sempre... Mas os casos que refiram estão acima, bastante, na minha opinião... Acima de, por exemplo, Rolling Stones, Prince, Beatles e inclusive a minha Banda preferida, os U2.
São opiniões. Just.
Beijos.

FM disse...

Como tu sabes Luís, há muito que se inventa e, convenhamos, Michael Jackson foi um artista que, devido ao seu bom coração, foi diversas vezes (diz-se!) apunhalado pelas costas, com esquemas que visavam sugar-lhe o dinheiro... Não digo que MIchael Jackson não errou. Errou, e muito, a começar pela mudança da pele que o levou a isto... à morte, à decadente morte, depois de uma vida vivida como se fosse (e foi!) uma cobaia da medicina.
Por outro lado, é incomparável o valor de Michael Jackson, o verdadeiro e único Rei da Pop. Conheces mais algum? Ou alguém que se aproxime? Pois, goste-se ou não do "Diry Genious", ele foi e será sempre o Único.
Abraço.

Acerca de mim

A minha foto
Portugal
Sempre algures entre o hoje e o amanhã, sem esquecer a memória.

JACKPOT

JACKPOT
Música Anos 70, 80 e 90

Porto Canal

Porto Canal

O Livro do Ano

O Livro do Ano
Escrito por uma Deusa e um Sonhador... em nome de um Ângelo

...Sempre...

...Sempre...

Blog Archive