terça-feira, 7 de abril de 2009

"Nós"

Nunca senti tamanho "fardo" como o que se encosta a mim a todo o instante. Não, não é um "fardo" penoso, muito pelo contrário. A palavra é uma figura de estilo que encontrei para descrever a relação entre o que era o "Um" e que passou a ser "Dois" e que hoje se traduz em "Nós".
Falo, obviamente, daquela imensa e continua responsabilidade que não pára de crescer em cima dos meus ombros, daquele estado de alerta constante que parece ter triplicado as horas do meu despertar, aquele sentir por antecipação que tantas vezes não passa de imaginação.
Está, está tudo bem! Esta mania de controlar tudo "ao grama" é que faz com que ainda ande um pouco confuso com o que me aconteceu.
É, nunca tinha sido Pai e, pelos vistos, esta Alegria também pesa, mesmo sendo paga com sorrisos bordados de Felicidade.
O porquê da expressão "fardo"?! É simples; para mim tudo funciona sob o signo do sentir e, nos últimos tempos, tenho sentido mais do que nunca, inclusive tenho-me sentido a mim.

6 comentários:

paulofski disse...

Mesmo que figurativa, eu não lhe chamaria "fardo" mas o nosso complemento que nos preenche uma parte nossa que tem estado adormecida, em maturação, e que depois instintivamente é despertada e maturada, o verdadeiro sentido de responsabilidade, o objectivo prioritário, o fruto do amor. Depois são etapas, o crescimento, as comparações, a alegria e felicidade que embora possam pesar, sente-se sempre uma leveza no coração estando junto dele.

Abraço

Ka disse...

Como sempre o Paulofski já disse quase tudo e apenas acrecento que se por um lado não considero também que seja um fardo, por outro sentimos sim o peso da responsabilidade por termos uma vida dependente de nós!

É claro que um simples sorriso faz tudo valer a pena!
Só depois de ter sido mãe me senti completa (se bem que com um lonnnngo caminho a percorrer) como ser humano.

Beijos para os 3 :)

Natacha disse...

Percebo taaaaantttooooooooo o que dizes, mesmo que utilizes o termo "fardo" que à partida pode ter uma conotação negativa, quando afinal, é um dos que não queremos perder nunca!!
É sentir que cada passo, cada opção, cada decisão, cada erro, cada tudo, tem de ser pensado e equacionado ao milímetro, porque o que está em causa não é apenas o nosso bem estar, a nossa vida, mas também e principalmente a de um Ser que é individual, mas dependente e parte de nós.

Enfim... nem sempre é fácil e por vezes é até muito dificíl, mas engrandece-nos, enche-nos de orgulho, mesmo que nos limite a acção...

Beijos de mãe para pai

FM disse...

Paulofski, tu, mais que muitos, sabem que o meu filho não é um "Fardo" mas sim a Maior Alegria. Sentiste-o, imagino, no meu aniversário.
"Fardo" é, logicamente, o peso da responsabilidade que, convenhamos, AGRADA-ME. Apenas "brinquei" com palavras, como faço regularmente neste cantinho.
Concordo com o que escreves, e ainda estou a aprender, a toda a hora.
Abraço.

FM disse...

Olá Ká!
Que bom "reler-te" por estas bandas. Obrigado.
Não há "fardo" nenhum, só mais atenção, só mais cuidado, só mais AMOR à VIDA, ainda mais.
Beijos com Carinho.

FM disse...

Ora aí está Natacha!
Alguém me entendeu... (risos)
Beijos de Pai para Mãe (risos) e Obrigado. (sorrisos)

Acerca de mim

A minha foto
Portugal
Sempre algures entre o hoje e o amanhã, sem esquecer a memória.

JACKPOT

JACKPOT
Música Anos 70, 80 e 90

Porto Canal

Porto Canal

O Livro do Ano

O Livro do Ano
Escrito por uma Deusa e um Sonhador... em nome de um Ângelo

...Sempre...

...Sempre...

Blog Archive