segunda-feira, 2 de junho de 2008

"In Génios" vs "Génios In" (reescrito)

Sou daqueles que não entendem os excessos aceites sob a capa da genialidade. Refiro-me a uma "artista" que conheci na imprensa escrita e que, mais tarde, me levou a despertar os ouvidos para "Rehab". A tal da Amy Winehouse, uma rapariga decadente de 23 ou 24 anos, teve uma rápida e torcida passagem pelo Rock in Rio Lisboa, conseguindo pela primeira vez esgotar um dia do evento. Consta-se que veio ganhar 1 milhão de euros, coisa pouca.
Não li, mas pelo pouco que ouço, foram inúmeras as criticas que, pelos vistos, encheram inúmeras páginas da imprensa. Pior mesmo, acrescente-se, foi o facto de vários agentes - principalmente Norte-Americanos, terem vindo a Portugal propositadamente para aquilatarem das potencialidades da "artista" Britânica.
Por outro lado, o pior, ouvi algumas opiniões televisivas e radiofónicas que, não sei como, desculpam o comportamento deste exemplo de juventude com a tal da genialidade. Perdoar o que é imperdoável?!
Como se pode apelidar de génio alguém que, com um álbum e alguns prémios, actua completamente intoxicada perante quase 100 mil pessoas? Ela até disse que queria muito estar ali e por isso é que não cancelou a sua actuação... Que actuação? Falaria o "entendido" daquela imitação de actuação que ouvi ser desculpada pelo facto de o cabo do microfone ter prejudicado a movimentação da artista?! Ok, se calhar a guitarra que ela não conseguiu tocar também estava com umas (outras) gramas a mais, compreendendo-se que não tenha conseguido retirar dela uma única nota...
Não quis acreditar quando ouvi um respeitado radialista da nossa praça dizer que a Amy só tem que deixar de "carregar um pouco no acelerador"... A sério?! Que ela, infelizmente, fará parte do grupo dos 27 que faleceram pelos excessos, que é uma Jannis Joplin do presente, quase uma Deusa da música... Que apesar daquela figura retalhada e deprimente não deixa de ser um génio...
Para mim, um génio é um ser inteligente e não aquele "farrapo humano" que não se respeita a si mesmo nem evita esconde-lo dos outros, principalmente dos fãs.
Foi triste ver tanta gente vibrar com o comportamento inexplicável de Amy Winehouse, foi triste ver que muitos ficaram felizes e desculparam tudo e mais alguma coisa com o tal do "mas é um génio"...
Tenho pena dela e dos que aceitam esta forma de vedetismo que não aceito. É que; para mim, um "palhaço movido a tutti-frutti de drogas" não pode ser considerado um génio, mas sim um exemplo a banir das primeiras páginas que, pelos vistos, não abalam certas consciências.
Amy Winehouse é apenas mais um dos inúmeros exemplos do passado, presente e futuro... Há tantos outros que o fazem em privado, tendo - vá lá, a decência de não mostrar os seus podres. É que com exemplos como os de 6ª feira fazem muitos jovens pensar que, afinal, todos podemos ser Amy's, todos podemos ser génios, quando, no fundo, não passaremos de palhaços movidos pelos cordéis dos "verdadeiros génios" - aqueles que mais ganham com isto.
Por outro lado, se calhar estou errado, porque o tal do "reabilitação" deve estar a ser levado à letra e a Amy Winehouse continua a fazer jus ao título do seu tão aclamado álbum. Triste "rehab", só falta o "dueto de seringas" com o Pete Doherty, aquele que provavelmente já ensaiaram na célebre brincadeira com ratinhos.
Ahh, só mais uma nota; consta-se que o atraso se deveu ao facto de Amy Winehouse - que entrou no Rock in Rio 30 minutos antes da hora de subir ao palco, não estar satisfeita com o verniz que tinha nas unhas, caso resolvido por Ivete Sangalo acabada de sair do palco. Por outro lado, a "estrela" teve lucidez suficiente para exigir que a produção evacuasse toda e qualquer pessoa que estivesse nos bastidores, incluindo outros artistas e staff, mesmo indo de carro com vidros fumados directamente para o seu camarim. Exigiu também uns vinhos especiais mas, pelos vistos, não teve tempo ou "fôlego" para abrir as garrafas...
A mesma Amy é cabeça de cartaz do novo Rock in Rio Madrid, desta vez a 4 de Julho, sem estalar de verniz ou um qualquer osso, desejarão "nuestros hermanos".

11 comentários:

Som do Silêncio disse...

Olá!

Não poderia estar mais de acordo contigo.
Vi o concerto e achei uma coisa deprimente.
Ok...tudo bem que o pessoal que a foi ver já "poderia" estar à espera de algo assim...mas assim?????
Onde está a grande artista?
Se esteve lá...confesso que não vi. Vi sim uma grande falta de respeito por 100 mil pessoas, vi uma tipa copmpletamente ganzada e bêbeda...a gemer ao micro...
Enfim...
Volta Marco Paulo...estás perdoado!

Bjs

bisturi disse...

Hello...Caro amigo porque te espantas quando alguém se chama de CASA DO VINHO havia de beber o quê? ÁGUA...? Então ter-se-ia de chamar WATERHOUSE...
Isto é mais um exemplo daquilo que se quer apresentar como paradigma de comportamento para os nossos jovens...meu Deus aonde isto nos vai levar...
Se a organização tivesse algum respeito e autoridade moral prendia essa "coisa" na casa de banho e chamava a polícia...Isso sim teria o meu caloroso aplauso!!!
Cada vez mais se vangloria os casoa desviantes da norma no circo romano da vã glória de um certo mundo em decadência mas que alguns teimam em vender-nos com roupagens de normalidade...
Ainda bem que alguém desafina desta "música" circense...
Bem haja...
Um abração

Xanda disse...

Concordo por completo com o que aqui escreves fm, além de não ser fã da Amy, depois do pouco que vi do concerto "na tv" ainda fiquei com pior impressão da "miúda".
Por favor... que degradação em palco e, pior, perante aqueles que lhe dão a ganhar "o pão de cada dia", desculpem-me mas a fulaninha é mesmo parva e nem dela gosta!
Tantos gostariam (c/ a sua humildade e criatividade) pisar aquele palco e não lhes é dada essa possibilidade, tenho a certeza que muitos faziam daquela noite um verdadeiro espectáculo... como alguns ainda o fazem mas não a menina Amy.
Mais uma vez estou contigo Francisco, e não é p/ parecer bem mas sim pq partilho a mesma opinião.
Bjnhs

Mary disse...

Sintonia...hoje ia exactamente fazer um post sobre este assunto!! Também não entendo como se pode adorar um concerto de alguém que apela ao que de pior o ser humano tem, que tem a lata de subir ao palco completamente drogada oferecendo ao público, que pagou para a ver, um espectáculo deprimente e sem qualquer qualidade!!!
A verdade é que ela tem o que é necessário para se destacar no mundo da música, mas a sua "genialidade" virou-se para o lado "podre" da vida :((((
beijinhos

Patti disse...

Os grandes artistas, por exemplo actuaram no sábado de noite, durante 2 horas sem parar e ontem à noite, outra grande artista, que ofereceu flores ao público e é só uma miúda, mas de grande maturidade então só na voz.

Bom post, FM

Anita :) disse...

não podia estar mais de acordo contigo FM...é lamentável...

beijinho e uma excelente semaninha;)

ps: tens um mimo no meu cantinho;)

Sunshine disse...

Não fui, não vi ao vivo, mas pelo que pude observar na tv estou completamente de acordo contigo.

Que "génio" é este que com esta postura leva a que uma imensa camada de jovens tenham o mesmo tipo de atitude ???

E mais não digo porque falar (escrever) sobre tal "diva" é dar-lhe uma importância que ela não tem.

Sandra T disse...

subscrevo plenamente!

Luis Lemos disse...

Antes de mais devo dizer que sou fã da Amy que ouvi no CD. Não da Amy que se apresenta em público. Confesso que ao comprar o CD tive dois sentimentos. Satisfeito pela qualidade das músicas e triste por de certa forma financiar os disparates da artista...
Estive lá e concordo contigo. O concerto foi uma fraude. Neste caso, acho que as autoridades portuguesas não deviam ter permitido a entrada de Amy em Portugal, tal como aconteceu nos Grammys.
Só tenho uma nota, o público não vibrou (quem esteve lá teve a possibildade de sentir as pessoas a vibrar com a Ivete, por exemplo), existiu uma meia dúzia de pessoas que por "fanatismo" aprova tudo e mais alguma coisa ao seu artista.
Devo salientar no entanto, a grande qualidade dos músicos e das vozes, que minimizaram os estragos da artista com a qualidade que têm...
Abraço

Ju disse...

Concordo contigo, adoro a Amy, mas tb acho que ela é mais de estúdio.
Depois de ver a Joss Stone ontem, que é mais nova até, penso... mas que raios tem na cabeça uma miuda de 23/24 anos, que chega à degradação total. Ela caíu em palco, e tem a sorte de ter aqueles negros fantásticos que a ajudam a cantar e a avançar com aquele espectáculo deprimente de quase 50m.
Os artistas não têm pais?
Família?

liamaral disse...

Eu como de costume, sou do contra!

Sou fã das músicas e da voz da Amy! Fiquei muito feliz quando soube que ela vinha ao Rock in Rio! Tive oportunidade de a ver ao vivo no Parque da Bela Vista! Em primeiro lugar fiquei bastante admirada quando finalmente a vi subir ao palco, confesso que até pensei que ela não aparecesse! É verdade que ela não estava em condições, é verdade que ela não cantou nada de jeito (ela própria o disse), é verdade tudo isso! Mas também é verdade que se ela não aparecesse toda a gente se ia virar contra a organização e contra ela pelo facto de se pagar tanto dinheiro pelo bilhete e não ver o cartaz apresentado. Eu própria confesso que era a artista que mais queria ver no cartaz de sexta feira! E se ela não aparecesse, eu ia ficar muito indignada! (Já não bastava terem subsituido o James Morrisson pelo Paulo Gonzo!!!) Por tudo isto e muito mais, eu digo ainda bem que ela apareceu! Já todos sabiamos que o mais provavel é que o estado dela fosse aquele com que se apresentou! Apresenta-se assim em todo o lado porque é que achavam que em Portugal seria diferente?! Mais duas ressalvas, para os músicos e coros que a acompanharam, muito bons e pacientes, não deve ser fácil, e por último se devem reclamar com alguém, na minha humilde opinião, deveriam reclamar com a editora e os "cães grandes" que a deixaram fazer aquele papel!
Infelizmente não lhe dou muito tempo de vida! É pena, porque continuo a achar que sóbria ela tem realmente uma voz como poucas pessoas! Uma verdadeira voz de génio!

Acerca de mim

A minha foto
Portugal
Sempre algures entre o hoje e o amanhã, sem esquecer a memória.

JACKPOT

JACKPOT
Música Anos 70, 80 e 90

Porto Canal

Porto Canal

O Livro do Ano

O Livro do Ano
Escrito por uma Deusa e um Sonhador... em nome de um Ângelo

...Sempre...

...Sempre...

Blog Archive